Arquivo da tag: Sindivigilantes

CAMPANHA DE DOAÇÕES DE AGASALHOS E ALIMENTOS

Creche Três Corações, na Vila Bom Jesus, tem sido uma das entidades beneficiadas

Creche Três Corações, na Vila Bom Jesus, tem sido uma das entidades beneficiadas



Diante da situação gravíssima que o País atravessa, devido à pandemia do novo coronavírus, aumentam as dificuldades das pessoas mais carentes e também de quem não tem trabalho, com a suspensão de várias atividades econômicas.

Há, inclusive, famílias de vigilantes precisando muito de ajuda, até mesmo para sua alimentação.

Por isso, o sindicato está lançando a Campanha do Agasalho desse ano, já que o inverno está logo aí, e também uma campanha de doação de alimentos para serem distribuídos a entidades assistenciais e vigilantes que estejam precisando desse apoio.

A creche Três Corações, na Vila Bom Jesus, por exemplo, foi beneficiada pelas campanhas dos últimos anos.

Tanto as roupas, limpas e em condições de uso, como os alimentos não-perecíveis podem ser entregues diretamente no sindicato, que está funcionando em horário especial, das 07h30 às 14 horas, na Galeria Santa Catarina, Rua Voluntários da Pátria, 595, 5º andar, salas 501 e 502.

Além da doação de alimentos avulsos, quem quiser e tiver condições também pode doar cestas básicas através dos convênios do sindicato, com desconto em folha.

É hora da categoria demonstrar, mais uma vez, sua solidariedade e mobilização em favor das pessoas mais necessitadas de agasalhos e alimentos. Participe dessa campanha, toda doação é bem-vinda.

 

VEJA OS PRODUTOS E PREÇOS ATUALIZADOS DAS CESTAS BÁSICAS PARA ASSOCIADOS (AS)

Além das cestas de alimentos, opções incluem sacolas de limpeza

Além das cestas de alimentos, opções incluem sacolas de limpeza



Divulgamos abaixo as opções de cesta básica em promoção para os associados (as), com os preços atualizados. As compras podem ser feitas com desconto em folha. Para mais informações ligue para o sindicato: (51) 3224-4545 ou 3225-5070 (Whatsapp).

Confira os produtos e valores.

1) SACOLA ECONÔMICA ASAEL
Faça seu pedido de segunda a quarta-feira e retire na sede do sindicato quinta-feira, a partir das 14 horas. Ou, a qualquer dia da semana, diretamente na sede do sindicato para a retirada em Sapucaia do Sul e Alvorada.

SACOLA DE LIMPEZA ASAEL – PROMOÇÃO
04 rolos de papel higiênico
03 sabonetes de 90 Gr..
01 desinfetante 2L ou 1 Amaciante 2L
01 creme dental de 70 Gr..
01 detergente líquido de 500 ml
01 Barra de Sabão Azul de 200 Gr..
01 Cx de sabão em pó de 1 Kg
01 Pacote de Bom Bril
01 Alvejante

– Valor: R$ 30,00

SACOLA ECONÔMICA 1- PROMOÇÃO
05 kg de arroz tipo 1
05 kg farinha de trigo especial
04 kg açúcar refinado
02 kg de feijão preto
01 pct café 250 gr.. Diana
01 pct de bolacha sortida
01 pct de massa com ovos 500 gr..
01 pct de achocolatado
01 lata de óleo de soja
01 kg de sal refinado
01 pct de polentina

– Valor: R$ 75,00

SACOLA ECONÔMICA 2 – PROMOÇÃO
05 kg de arroz tipo 1
05 kg de farinha de trigo especial
04 kg de açúcar refinado
02 kg de feijão preto
02 latas de óleo de soja
01 pct de massa com ovos 500 gr.. spaghetti
01 pct de massa com ovos 500 gr.. ninho
01 pct de café 250 gr..
½ kg de erva mate
01 kg de sal refinado
01 extrato de tomate 140 gr..
01 pct bolacha sortida de 500 gr..
01 pct de farinha de mandioca de 500 gr..
1 pct de polentina 500 gr..
1 pct de achocolatado
1 pote de schmier 400 gr..

– Valor: R$ 88,00

SACOLA ECONÔMICA 3 – PROMOÇÃO
10 KG de arroz tipo 1
05 kg de farinha de trigo tipo especial
05 kg de açúcar refinado
04 latas de óleo de soja
02 kg de feijão preto
01 pct de massa com ovos 500 gr.. ninho
01 pct de massa com ovos 500 gr.. spaghetti
01 pct de bolacha Maria ou salgada (conforme disponível)
01 kg de sal refinado
01 extrato de tomate 130 gr..
01 gelatina
01 pct de polentina
½ kg de farinha de mandioca
01 pct de café Melita 250 gr..

– Valor: 126,00

PROMOÇÃO – SACOLA TIPO 3B
10 kg arroz tipo 1
02 kg de farinha de trigo especial
04 kg de açúcar refinado
04 latas de óleo de soja
02 kg de feijão
01 pct de massa ninho com ovos
01 pct de massa spaghetti c/ ovos
01 pct de bolacha Maria ou sortida
01 kg de sal ou pote de tempero
01 extrato de tomate de 130 gr..
01 gelatina
01 pct de polentina
01 pct de café Melita 250 gr…
½ kg de farinha de mandioca

– Valor: R$ 110,00

SACOLA ESPECIAL – PROMOÇÃO
10 kg de arroz tipo 1
05 kg farinha de trigo tipo especial
07 kg de açúcar refinado
04 latas de óleo de soja
02 kg de feijão preto
01 pct de massa com ovos ninho
01 pct de massa com ovos parafuso
01 pct de bolacha Maria
01 kg de sal refinado
01 extrato de tomate 370 gr..
01 pote de schmier 400 gr..
01 gelatina
02 pacotes de café Melita 250 gr..
01 pct de polentina
01 lt de ervilha
½ kg de erva mate
½ kg de farinha de mandioca
01 pct de suco

– Brinde 01 gelatina

– Valor: R$ 138,00

SACOLA ECONÔMICA  MESASUL
Entregue na sua Residência. Faça seu pedido na Secretaria de Finanças do sindicato

CESTA BÁSICA MESASUL – LIMPEZA ECONÔMICA
04 rolos de papel higiênico Paloma F.simples – 30 mt
03 sabonetes de 90 Gr – YPE Segredo das Flores
02 barras de sabão Campeão c/glicerina de 400 Gr
02 creme dental ICE CLEAN MENTA de 90 gr
01 detergente líquido Girando Sol – neutro 500 ml
01 Detergente em pó 1 Kg ASSIM TRIPLAÇÃO
01 Esponja de Aço Assolan c/8
01 Desinfetante Girando Sol Pinho 500 ml
01 Desinfetante AQUAFAST MULTIUSO ORIGINAL 500 ml

– Valor: R$ 30,00

SACOLA ESPECIAL MESASUL
10 KG de arroz polido Casa Bem tipo 1
05 kg farinha trigo tipo especial PANFACIL
07 kg de açúcar refinado da BARRA
02 kg de feijão Mesaboa TIPO 1
04 Latas de Óleo de soja 900ml LEVE PET
02 pct massa espaguete Isabela 500 gr
01 pct de massa parafuso Isabela 500 gr
01 Café MELITTA 500 grs
01 Kg sal Daiana
01 extrato de tomate Bonare SACHE 350 gr
02 pct. Biscoito Bauducco Levissimo Crak 200 gr
01 pct. Farinha de milho média Siloti 1 Kg
01 pct. Biscoito MARIA Isabela 400 gr
02 gelatina cereja Bretzke 30gr
01 Doce em massa da Serra – Abobora 400 gr
02 Achocolatado Nescau 400 gr

– Valor: R$ 160,00

(Os preços da Mesasul foram atualizados em 13/05/2020)

ASSOCIE-SE AO SINDICATO E TENHA ACESSO A ESTES E MAIS DE 100 CONVÊNIOS E BENEFÍCIOS, INCLUINDO COLÔNIA DE FÉRIAS, CARTÃO VEX – MASTERCARD, CLÍNICAS MÉDICAS E ODONTOLÓGICAS.

 

 

SINDICATO VAI PEDIR MEDIAÇÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO NA NEGOCIAÇÃO DA CONVENÇÃO COLETIVA

Tribunal está realizando audiências por videoconferência

Tribunal está realizando audiências por videoconferência



A assessoria jurídica do Sindivigilantes do Sul vai ingressar, nesta semana, com um pedido de mediação da Justiça do Trabalho na negociação da Convenção Coletiva de Trabalho 2020-2021. Em todas as assembleias realizadas, a categoria rejeitou a proposta patronal.

Desde então, a negociação com o Sindicato das Empresas de Segurança Privada (Sindesp) não evoluiu, porque os empresários insistem com a mesma proposta, ou seja, nenhum índice de reajuste. Nem sequer a reposição da inflação, que ficou em 4,30% na data-base da categoria (1º de fevereiro).

As empresas continuam oferecendo apenas um abono mensal, que chamam de “prêmio de assiduidade”, de cerca de R$ 100,00, que não repercute no piso salarial e demais valores recebíveis, como 13º, horas extras, adicional noturno, periculosidade, férias, adicional de uniforme, FGTS, que continuariam os mesmos.

Esse valor seria pago aos vigilantes com até duas faltas ao trabalho, no máximo. “Pelo que temos conhecimento, o Rio Grande do Sul é o único estado, neste ano, onde as empresas estão tendo essa postura, de não oferecer nenhum índice de reajuste”, disse o presidente do Sindivigilantes, Loreni Dias.

Diante disso, o sindicato vai buscar na Justiça do Trabalho uma mediação que possa solucionar o impasse com entidade patronal. O Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT4) também está com atividades presenciais suspensas, mas existe a possibilidade das audiências serem realizadas por videoconferência.

Tão logo haja uma resposta do TRT ou alguma outra novidade informaremos a todos, aguardem.

MAIORIA DOS DEPUTADOS GAÚCHOS VOTOU A FAVOR DA MP 905 QUE TIRA DIREITOS EM MEIO À PANDEMIA

Carteira do trabalho



A maioria dos deputados federais do Rio Grande do Sul votou a favor da Medida Provisória (MP) nº 905/2019, que cria a “carteira verde e amarela” e foi aprovada por 322 votos a 153 na calada da noite desta terça-feira (14).

Dos gaúchos, houve 18 votos favoráveis, 10 contrários e três ausentes. A votação foi pela internet. Veja abaixo como votou cada parlamentar gaúcho.

A matéria segue agora para análise do Senado. Caso não seja votada até a próxima segunda-feira (20), a MP 905 caduca e perde validade.

Vergonha

“Trata-se de uma vergonha. Em vez de aprovarem medidas para proteger os trabalhadores e salvar vidas diante da pandemia do coronavírus, a maioria dos deputados se curvou aos interesses dos empresários gananciosos e oportunistas para tirar ainda mais direitos trabalhistas, retirar dinheiro da Previdência, diminuir a renda da classe trabalhadora e aumentar a pobreza, a miséria e a exclusão social”, critica o presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci.

Carteira verde e amarela

A MP 905 cria a carteira verde e amarela, flexibilizando direitos trabalhistas e contribuições sociais para baratear a contratação de jovens de 18 a 29 anos e trabalhadores com mais de 55 anos.

O salário será de até 1,5 salário mínimo. As empresas serão isentas da contribuição previdenciária (20%), reduzindo a arrecadação do INSS, e das alíquotas do Sistema S (de 0,2% a 2%).

A multa de 40% do FGTS em caso de desligamento será diminuída para 20%.

Poderão ser contratados com a carteira verde e amarela até 25% dos trabalhadores da empresa.

Bancários

A MP 905 restringe a jornada de seis horas dos bancários aos que operam exclusivamente no caixa, podendo ser prorrogada até 8 horas diárias, não excedendo 40 horas semanais.

Estarão liberadas aos sábados, domingos e feriados as atividades de automação bancária, teleatendimento, telemarketing, serviço de atendimento ao consumidor, ouvidoria, áreas de tecnologia, segurança e administração patrimonial, atividades bancárias de caráter excepcional ou eventual e em feiras, exposições ou shopping centers e terminais de ônibus, trem e metrô.

Resistência

A oposição resistiu e tentou adiar a votação da MP 905, sendo que PSB, PT, PDT e Psol entraram em obstrução. Por conta disso, a sessão durou quase 10 horas.

O texto considera acidente de trabalho no percurso casa-emprego somente se ocorrer no transporte do empregador.

Acordos e convenções de trabalho devem prevalecer sobre a legislação ordinária, súmulas e jurisprudências do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e de tribunais regionais do trabalho, exceto se contrariarem a Constituição Federal.

Foi retirado o dispositivo que estendia o trabalho aos domingos e feriados a todas as categorias e mantido o pagamento do abono do PIS/Pasep somente com a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, desistindo de estender a todos os bancos privados.

ATENÇÃO – PROCESSOS JUDICIAIS

Justiça



Alertamos à categoria para só considerar como oficiais e verdadeiras as informações sobre processos judiciais do sindicato que forem publicadas no site da entidade.

Desconsiderem qualquer informação que não tenha sido divulgada através do nosso site, mesmo que venha de algum diretor ou até mesmo do presidente. Só assim podemos evitar informações desencontradas ou inverídicas.

Neste sentido, a respeito das ações coletivas contra a empresa JOB, que são várias, o jurídico da entidade está à disposição para responder aos questionamentos dos favorecidos, podendo enviar email ao sindicato que imediatamente encaminhará para a sua assessoria jurídica.

Como sempre acontece, havendo liberações de recursos, faremos a divulgação aos beneficiários. Pedimos aos interessados que aguardem, até porque vivemos tempos de suspensão dos prazos judiciais em razão da calamidade publica decorrente da pandemia.

Loreni Dias – Presidente
Sindivigilantes do Sul

SINDIVIGILANTES-RS COBRA DAS EMPRESAS DISPENSA DAS GESTANTES E EPI’s PARA TODOS

Não pode faltar álcool gel nos postos (Foto: Marcelo Casal Jr./Agência Brasil

Não pode faltar álcool gel nos postos (Foto: Marcelo Casal Jr./Agência Brasil



Na última segunda-feira (23), o Sindivigilantes do Sul enviou um ofício, elaborado pela sua Assessoria Jurídica, para todas as empresas de vigilância cadastradas no sindicato, solicitando medidas imediatas de prevenção ao coronavírus .

Na correspondência, o sindicato cobra das empresas a dispensa remunerada das vigilantes gestantes, que estão no grupo de risco, e EPI’s (equipamentos de proteção individual) contra o vírus para todos os demais trabalhadores.

O sindicato recebeu denúncias de que as empresas oficiadas não vêm “adotando medidas de preservação da saúde de seus empregados frente à pandemia do Covid-19, em especial de suas empregadas gestantes”.

Ele aponta que isso viola o artigo 157 da CLT, a Lei 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, o Decreto Estadual 55.128 de 19 de março de 2020 e o inciso XXII, do artigo 7º, da Constituição Federal de 1988.

“Os trabalhadores denunciaram ainda que a oficiada não vem oferecendo EPI’s para evitar a contaminação do Covid-19, a exemplo de álcool em gel 70% e máscaras faciais de proteção, além de exigir que seus empregados vigilantes façam a medição da temperatura do publico com uso de termômetros a laser os expondo a maior risco de contágio”, diz o documento.

Conforme os relatos dos vigilantes, alguns postos de trabalho estão suspendendo o atendimento ao público, sendo liberados alguns trabalhadores para ficarem em casa, sem prejuízo dos salários.

O documento afirma que, “no caso das gestantes a oficiada adotou outro posicionamento, não as dispensando e determinando que se apresentassem na base para aguardarem outros postos para assumirem e/ou mesmo para que cumpra sua jornada na base”.

Grupo de risco

Acontece que gestantes estão no chamado grupo de risco e não é plausível que as empresas ignorem isso e as mantenham no local de trabalho, enquanto outros que não estaria no grupo de risco estariam sendo dispensados.

Neste sentido, o sindicato orienta que as empresas devem “conceder licença remunerada a todas as suas empregadas gestantes, porque o risco de atividade cabe à empresa e o salário tem natureza alimentícia”.

Em relação aos demais trabalhadores que não se enquadram no grupo de risco, o sindicato alerta que compete às empresas “adotar medidas a fim de evitar o contagio do Covid-19 mediante o fornecimento de EPI’s, como por exemplo álcool em gel 70%, máscaras faciais de proteção, luvas entre outros que visem à proteção do trabalhador”.

Diz ainda que “os funcionários de segurança pessoal e patrimonial não têm por atribuição fazer a medição de temperatura do público que adentra no ambiente das empresas com as quais as empresas de vigilância mantém contrato”

Essa exigência “expõe o trabalhador a maior risco de contágio além de ser uma alteração lesiva ao contrato de trabalho em verdadeira violação a regra do artigo 468 da CLT, além de demonstrar violação a regra do artigo 157 da CLT”, conclui o documento.

O ofício finaliza orientando as empresas a adotarem, imediatamente, todas as medidas preventivas necessárias, caso não tenham sido adotadas ainda. Pede que confirmem ou desmintam as denúncias, com documentação que comprove a a implementação das providências indicadas.

Caso as empresas não respondam com a documentação solicitada, o sindicato vai encaminhar denúncia junto aos órgãos competentes, como o Ministério Público do Trabalho para as providências administrativas cabíveis ao caso.

Também vai providenciar o ajuizamento de processo judicial para defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras da sua base territorial. Enquanto isso, continua a fiscalização do sindicato nos locais de  trabalho apontados em denúncias.

Estas são algumas das empresas oficiadas pelo sindicato.

AMIM
CIMDAPA
ONDREPSB
RUDDER SEGURANÇA
RUDDER SERVIÇOS
RF PRISMA
LINCE SEGURANÇA
PORTOALEGRENSE
PROSEGUR
PROTEGE
MOBRA VIGILÂNCIA
MD SEGURANÇA
MW SEGURANÇA
VIGITEC
ANCHIETA
STV
EMBRASIL
ENSEL
GOCIL
GPS
UNISERV

CORONAVÍRUS: DIRETORES VISTORIAM POSTOS CONFERINDO MEDIDAS DE PROTEÇÃO

Motta e Adão na Fase, em Porto Alegre

Motta e Adão na Fase, em Porto Alegre



Diretores e diretoras do sindicato já percorreram vários postos de trabalho dos vigilantes, a partir de denúncias ou fazendo fiscalização em locais de maior circulação de pessoas, onde os trabalhadores podem estar mais expostos ao risco de contágio pelo coronavírus.

Nesta terça-feira, os diretores Adão Ferreira da Silva e Luiz Paulo Motta vistoriaram mais alguns postos, no Aeroporto, Cais do Porto e na Lince, onde conferiram se as empresas adotaram as medidas recomendadas para proteção dos vigilantes contra os vírus.

Nestes locais, constataram que está tudo conforme as recomendações dos órgãos de saúde, com disponibilidade de álcool gel, água, sabão, entre outras medidas que foram adotadas pelas empresas.

 “Em todos os postos que percorremos o pessoal estava com gel, água e sabão e em alguns postos, como o da Lince, no Cais do Porto, alguns colegas estavam com máscara também”, disse Adão.

No aeroporto, por exemplo, conversaram com os vigilantes e não houve relato de nenhum problema em relação a isso. “Ninguém estava desprotegido todos com o EPI de higiene necessário o para o momento com o coronavírus”.

Depósito da Vivo

Também ontem eles estiveram, com a diretora Elisa Araújo e o diretor Ivo Carioca, no depósito da Vivo junto à Tgestiona, no Parque Logístico 3SB, em Nova Santa Rita, atendendo a uma denúncia.

Lá, quatro vigilantes foram dispensados do trabalho por apresentarem febre alta, dor de garganta e difiuldade respiratória.

Porém, de dois já se sabe que se trata de uma gripe forte e dos outros dois falta ainda o diagnóstico. Mas, a partir dessa fiscalização, os vigilantes do posto foram dispensados de fazer a revista nos caminhoneiros, que agora é feita por videomonitoramento. 

Equipe do sindicato, no Parque Logístico em Nova Santa Rita

Leia mais detalhes clicando neste link: http://www.sindivigilantesdosul.org.br/coronavirus-sindicato-confere-denuncia-de-vigilantes-em-deposito-da-vivo/

CORONAVÍRUS – MEDIDAS DE EMERGÊNCIA DO SINDICATO

Presidente do sindicato, Loreni Dias

Presidente do sindicato, Loreni Dias



Diante da situação excepcional que estamos vivendo, devido à pandemia de coronavírus, adotamos diversas medidas de emergência, que informamos abaixo. Outras medidas e ajustes vão acontecer, se for necessário. Sugestões são bem vindas, atenderemos na medida do possível.

1- A sede está fechada. O DECRETO DE CALAMIDADE do governador Eduardo Leite, publicado ontem (sexta-feira), é muito claro. só podem permanecer abertos os SERVIÇOS ESSENCIAIS. Portanto, fizemos a coisas certa!!!

2- Fechamos a sede, mas será feito tudo que for possível para atender a categoria. Os meios de contato, exceto telefones fixos da sede, continuam funcionando normalmente (Site, Facebook, Email, Whatsapp). 

Whatsapp: (51) 3225-5070
Email: contato@sindivigilantesdosul.org.br
Facebook: https://www.facebook.com/sindicatodosvigilantesrs/
Site: www.sindivigilantesdosul.org.br/

3- Inclusive, ao avisar sobre o fechamento do sindicato, divulgamos o telefone do presidente (992-974-780) e também o da funcionária Márcia  (991-546-531).

4- Cestas básicas – Conseguimos reservar um lote de cestas básicas para os vigilantes. A entrega será na nossa sede, mas precisa ser agendada por telefone com o presidente Dias ou a funcionária Márcia, nos telefones acima.

Atenção: Quem não puder buscar, pode pedir a entrega em casa telefonando para a diretora Elisa Araújo: 985-837-959. A viatura está disponível para isso mas, por favor, peça somente quem realmente precisar do transporte, para que possa atender a todos os pedidos.

5- Vale-gás – O vale-gás também será fornecido no atendimento de emergência na sede, no mesmo sistema das cestas básicas. Eles serão entregues mediante o agendamento prévio com o presidente (992-974-780)  ou Márcia  (991-546-531). 

Atenção: Não deixem  para a última hora, marquem cestas básicas e vale-gás com antecedência.

6- O sindicato já tomou providências, com a fiscalização e a assessoria jurídica, quanto às denúncias que chegaram sobre vigilantes expostos a riscos de contágio e em desvio de função (como medição de temperatura).

7- Novas denúncias – Encaminhar pelos meios de sempre: Site, Email, Whatsapp, Facebook ou para as pessoas da diretoria executiva abaixo. Os demais diretores e diretoras também podem ser acionados a qualquer momento. Daremos prioridade às denúncias relacionadas com o coronavírus, ou seja, ameaças à saúde e segurança dos vigilantes. 

Loreni Dias: 992-974-780
Adão Ferreira da Silva: 991-221-717
Elisa Araújo: 985-837-959
Gérson Farias: 983-506-922
Luis Henrique Aguiar: 986-516-595

8- Convênios – Nada está funcionando, inclusive Clinicentro e Sorrir Bem fecharam as portas nestes dias, mas se algo mudar nós avisaremos. Isso reforça a importância da saúde pública e do SUS para o país, com quem mais pode contar a população nessas horas? 

9- Agradecemos o empenho e a dedicação dos funcionários e funcionárias que, de suas casas, usando seus equipamentos pessoais (computadores, tabletes, telefones, seus aposentos), continuam trabalhando e prestando serviços à categoria. Nosso muito obrigado em nome de toda a direção e demais vigilantes!

10- Foi muito triste e vergonhoso o oportunismo de quem atacou violentamente o sindicato, enquanto ainda estávamos nos organizando para essa situação totalmente nova. Disse até que não havia nenhum telefone de contato para a categoria. MENTIRA, foi publicado no mesmo aviso do fechamento da sede O TELEFONE DO PRESIDENTE, que é o  principal representante do sindicato, o responsável por tudo que acontece na entidade. Além disso, os outros meios de comunicação, Whatsapp, Email, Face e o contato pelo nosso site continuam funcionando normalmente. 

Muita coisa pode acontecer nas próximas semanas, muita coisa pode mudar, mas sempre vamos fazer tudo que for possível pela categoria, mesmo em situações extremamente difíceis como agora. É hora de muito apoio e união de todos nós, de nos ajudarmos, para vencermos juntos essa nova crise. Abraço e contem conosco.

Loreni Dias – Presidente
Sindivigilantes do Sul

ASSEMBLEIAS DA CAPITAL REJEITAM PROPOSTA PATRONAL DE “PRÊMIO ASSIDUIDADE”

Decisão dos presentes foi unânime

Decisão dos presentes foi unânime



Nas assembleias de Porto Alegre nesta terça-feira (10), realizadas de manhã e à noite, os vigilantes rejeitaram, por unanimidade, a proposta patronal de Convenção Coletiva de Trabalho que oferece somente um bônus de “prêmio assiduidade”, para quem tiver no máximo duas faltas ao trabalho, e R$ 21,00 para o vale-alimentação..

Como contraproposta, foi aprovada pelos presentes a reposição da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que ficou em 4,30% na data-base (1º de fevereiro), para reajuste dos salários e demais cláusulas remuneratórias.

Agora serão realizadas as assembleias no interior, para confirmar ou não o que foi decidido na capital. “Essa decisão é da categoria, não será minha, nem da diretoria, será de todos os que comparecerem nas assembleias”, disse o presidente do Sindivigilantes do Sul, Loreni Dias.

“A patronal está dando “ZERO” de aumento, sem nem mesmo repor a inflação, estão apresentando esse bônus de assiduidade”, explicou. “É lamentável que venham com essa proposta, acho isso um abuso da patronal”, completou o presidente.

Com o aumento pelo INPC, o salário-base iria para R$ 1.564,91 nas jornadas de 220 horas, com repercussão do índice também sobre horas-extras, adicional noturno, adicional de uniforme, periculosidade, férias, 13º, FGTS e verbas rescisórias quando acontecer demissão e outros.

A situação é muito difícil por toda parte, disse Dias. Os vigilantes da Bahia, inclusive, estão no segundo dia de greve, enquanto outras categorias também estão entrando em greve ou declarando estado de greve. É o caso dos rodoviários de Porto Alegre, que declararam estado de greve e pediram a mediação da Justiça do Trabalho.

Presidente Loreni Dias, ao centro, com os diretores Adão Ferreira da Silva e Luiz Paulo Motta

Presidente Loreni Dias, ao centro, com os diretores Adão Ferreira da Silva e Luiz Paulo Motta

O Sindivigilantes do Sul pode seguir o mesmo caminho, se as assembleias confirmarem a rejeição da proposta patronal, e pedir a mediação da Justiça do Trabalho.

Entretanto, isso não significa o ajuizamento de dissídio, para que o impasse seja resolvido num julgamento, mas uma mesa de negociação com a participação do Tribunal Regional do Trabalho e Ministério Público do Trabalho.

As assembleias da capital foram realizadas no auditório do Sindicato dos Ferroviários. As assembleias do interior começam hoje por Charqueadas.

– Assembleia de Charqueadas
Dia: quarta-feira, 11 de março
Horário: 19h
Local: Rua Rui Barbosa, 999, Centro – Charqueadas

– Camaquã
Dia: quinta-feira, 12 de março
Horário: 19h
Local: Rua Bento Gonçalves, 1207, Sindibancários – Camaquã

– Horizontina
Dia: 17 de março
Hora: 19 horas
Local: RS 342, Km 20, no auditório da Associação dos Metalúrgicos de Horizontina.

– São Luiz Gonzaga
Dia: 18 de março
Hora: 19 horas.
Local: Sindicato dos Bancários, Rua Bento Soeiro, 2780, Centro, São Luiz Gonzaga.

Vigilantes, esperamos por vocês, compareçam!

– Texto modificado às 17h09 para acrescentar o valor oferecido para o vale-alimentação e assembleias de Horizontina e São Luiz Gonzaga, que foram confirmadas.

 

CAMPANHA SALARIAL: PREPAREM-SE PARA NOVA RODADA DE ASSEMBLEIAS

Negociação no Sindesp ocorreu terça-feira

Negociação no Sindesp ocorreu terça-feira



A agenda completa da nova rodada de assembleias que o Sindivigilantes do Sul vai realizar, em breve, na capital e no interior, será divulgada assim que forem confirmados os locais onde elas vão acontecer. Estará em discussão a proposta a que se chegou na negociação com a entidade patronal (Sindesp) para a Convenção Coletiva de Trabalho 2020-2021.

Na reunião que aconteceu nesta terça-feira (03) os donos das empresas reafirmaram que não vão apresentar um índice de reajuste salarial, nem mesmo a inflação, que ficou em 4,30 % pelo INPC na data-base da categoria (1º de fevereiro).

Em vez disso, eles mantiveram como proposta uma espécie de bônus, que estão chamando de “prêmio assiduidade”, no lugar do percentual.

Inicialmente, ofereceram R$ 80,00, mas um valor maior está em discussão e será apresentado nas assembleias. Para o Vale Alimentação a proposta é de R$ 21,00.

Prêmio assiduidade

Esse “prêmio assiduidade” seria recebido pelos vigilantes que tiverem, no máximo, duas faltas ao serviço no decorrer do ano. Quando ultrapassar esse limite o vigilante perderia a bonificação daquele mês.

O presidente do Sindivigilantes do Sul, Loreni Dias, considera a situação muito preocupante, pois esta forma de pagar o aumento muda completamente a lógica das negociações até hoje. “Sempre houve um percentual sobre os salários e demais itens remuneratórios, pelo menos o índice da inflação”, lembrou.

Dias afirma que uma decisão tão importante exige um grande comparecimento da categoria nas assembleias, para dizer se aceita proposta a nestas condições. “Contamos com uma grande presença dos vigilantes, essas assembleias vão ser decisivas”, concluiu Dias.

Quem quiser saber mais detalhes, compareça na assembleia!