RUDDER É CONDENADA EM AÇÃO MOVIDA PELO SINDICATO

Justiça



Uma sentença da juíza Luciane Cardoso Barzotto, da 29ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, publicada segunda-feira (25), determina que a Rudder Serviços Gerais  repasse os valores integrais das mensalidades e convênios dos associados ao sindicato e que a empresa pare de cometer assédio contra os trabalhadores para prejudicar atuação da entidade, ou seja, conduta antissindical.

A empresa foi condenada pela juíza a pagar multa por descumprimento de uma decisão anterior em antecipação de tutela (que exige cumprimento imediato), na medida em que vinha repassando ao sindicato valores menores que os devidos das mensalidades e convênios, cerca de um terço dos valores, apenas.

Esses valores devem ser descontados integralmente em folha de pagamento e transferidos ao sindicato até o dia 10 de cada mês, determinou a juíza.

A assessoria jurídica do sindicato denunciou também, na ação civil coletiva, que a Rudder vinha praticando condutas antissindicais, tentando colocar seus empregados contra o sindicato, enviando comunicados e pesquisas aos vigilantes com informações falsas em relação ao Sindivigilantes do Sul e seus diretores.

Sobre isso, a juíza determinou que a Rudder pare de praticar condutas antissindicais, “deixando de enviar comunicado/memorando ou enquete aos empregados no tocante à atuação do sindicato, em especial no referente à formalização de acordo coletivo de trabalho”.

 

 

 

JUSTIÇA ATENDE PEDIDO DO SINDICATO E BLOQUEIA FATURAS DA CAMARGO NO SANATÓRIO PARTENON

Sindicato pediu bloqueio de fatura de todos os postos da empresa

Sindicato pediu bloqueio de fatura de todos os postos da empresa



O juiz Elson Rodrigues da Silva Júnior, da 26ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, atendeu o pedido do sindicato em ação coletiva e determinou, com tutela de urgência, o bloqueio das faturas e créditos da Camargo Segurança Eireli junto ao Hospital Sanatório Partenon, em Porto Alegre, até o limite de R$ 800 mil.

Este recurso deve ser destinado ao pagamento de salários, vale-alimentação e vale-transporte em atraso, além das verbas das rescisões de contrato devidas aos vigilantes.

Cabe lembrar que, semanas antes da Camargo falir, diretores do Sindivigilantes do Sul foram muito mal recebidos por vigilantes do Sanatório Partenon, quando foram conferir as denúncias de atrasos dos pagamentos.

Esses vigilantes disseram que não precisavam do sindicato e que eles mesmos resolviam tudo direto com a empresa. Mas a Camargo fechou as portas da noite para o dia, ficaram todos de mãos abanando, e quem está lutando para que os trabalhadores recebam seus direitos é o sindicato.

Caso não haja mais faturas a serem bloqueadas, o juiz determinou a penhora de créditos de outro processo da empresa que tramita na 9ª Vara do Trabalho.

Decisões favoráveis

A Justiça também já decidiu favoravelmente ao bloqueio de faturas do Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff) e do Centro Estadual de Treinamento Esportivo (Cete). Nos próximos dias devem ser despachadas as decisões para os demais postos.

Ao mesmo tempo que encaminhou ações coletivas à Justiça Trabalhista, o sindicato enviou ofício à direção de TODOS os postos que a Camargo detinha, pedindo o bloqueio das faturas e o  pagamento direto dos vigilantes. Apenas a direção do Cais do Porto respondeu afirmativamente, semana passada, comprometendo-se a pagar direto os trabalhadores nos primeiros dias de fevereiro.

Centro Administrativo

Num ofício encaminhado ao Caff dia 10 de novembro, diante dos atrasos que já vinham ocorrendo, a assessoria jurídica do sindicato fez a mesma solicitação: bloqueio de faturas e pagamento direto. Mas  o Caff se negou a fazer o pagamento direto dos vigilantes e destinou o recurso de uma fatura bloqueada ao pagamento de outros trabalhadores, de um processo antigo da Alerta.

CAMINHADA DOS VIGILANTES PARA ENTREGA DA PROPOSTA AO SINDESP FOI ADIADA

Campanha salarial 2021 site



Nas assembleias realizadas em Porto Alegre ficou combinada para segunda-feira, dia 1º de fevereiro, uma caminhada dos vigilantes da avenida Ipiranga até a entidade patronal, na Avenida Getúlio Vargas, 1570 para a entrega da pauta de reivindicações aprovada nas assembleias.

Porém, a mobilização foi adiada porque o Sindicato das Empresas de Segurança Privada (Sindesp) não terá expediente segunda-feira, véspera do feriado de Nossa Senhora dos Navegantes, que acontece terça-feira (02). Aguardem a confirmação da nova data.

Hoje à noite acontece a última assembleia de discussão e votação dessa pauta, em Mostardas, na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, às 19 horas em primeira chamada e 19h30 em segunda e última chamada. O sindicato fica na Rua 11 de Abril, 356.

AVISO – DIA 1º/02

aviso (1)



Informamos que segunda-feira, dia primeiro de fevereiro, véspera do feriado de Nossa Senhora dos Navegantes (02), não haverá expediente no sindicato. O atendimento normal volta quarta-feira, dia 03, a partir das 07h30. O Sindivigilantes do Sul está localizado na Rua Voluntários da Pátria, 595, 5º andar, Centro Histórico de Porto Alegre.

ASSEMBLEIA HOJE (26) É EM CAMAQUÃ E AMANHÃ EM MOSTARDAS

Assembleia dia 11



As duas últimas assembleias para discussão e votação da pauta de reivindicações da campanha salarial dos vigilantes deste ano serão realizadas hoje, terça-feira (26), em Camaquã, e amanhã, quarta-feira (27), em Mostardas. Quando forem encerradas as assembleias publicaremos as propostas aprovadas a serem entregues para a patronal. Mas já podemos adiantar que será colocada em discussão também a convenção coletiva do ano passado, que não foi assinada pelo Sindivigilantes do Sul porque as empresas, representadas pelo Sindesp, se recusaram a conceder qualquer reajuste.
Camaquã – 26 de janeiro (terça-feira)
. Local: Rua Bento Gonçalves, 1207 – Sindicato dos Bancários Camaquã
. Horário: 19h a primeira chamada e 19h30 a segunda e última chamada, com qualquer número de trabalhadores presentes
Mostardas – 27 de janeiro (quarta-feira)
. Local: Rua 11 de Abril, 356 – Sindicato dos Trabalhadores Rurais. Horário: 19h a primeira chamada e 19h30 a segunda e última chamada
Sindivigilantes do Sul – 26/01/2021

ASSEMBLEIA DA MANHÃ NA CAPITAL FOI REALIZADA. À NOITE TEM A SEGUNDA SESSÃO, PARTICIPE!

Local é o auditório do Sindicato dos Ferroviários

Local é o auditório do Sindicato dos Ferroviários



Depois das assembleias que aconteceram em Horizontina, sexta-feira, e São Luiz Gonzaga, sábado, acontece hoje (25) a assembleia da capital, em duas sessões, pela manhã e à noite. A primeira já foi realizada e a da noite está marcada para as 19h30 em primeira chamada e às 20h em segunda e última chamada.

O local é o auditório do Sindicato dos Ferroviários, no mesmo endereço do Sindivigilantes do Sul, na Rua Voluntários da Pátria, 595, quinto andar. Está em discussão e votação a pauta de reivindicações que será entregue à entidade patronal (Sindesp), na próxima semana.

Uma das principais cláusulas aprovadas nas assembleias, até agora, condiciona qualquer acordo da convenção coletiva de 2021 ao reajuste de 4,30% do ano passado, referente à inflação na data base. Para que possa haver acordo neste ano, tem que ser resolvido o que ficou para trás.

Também foi confirmado pela assessoria jurídica que o sindicato já ajuizou o dissídio de 2020 na Justiça do Trabalho. Para saber mais detalhes sobre essas e outras cláusulas, participe, compareça, a mobilização da categoria nas assembleias é fundamental para que a campanha salarial tenham um bom resultado.

SINDICATO CONSEGUE LIBERAÇÃO DE VALORES PARA VIGILANTES DA JOB/SEMA

Sindicato pediu bloqueio de fatura de todos os postos da empresa

Sindicato pediu bloqueio de fatura de todos os postos da empresa



Temos mais uma importante vitória do sindicato, através da assessoria jurídica, na liberação de valores para os vigilantes que trabalhavam pela JOB na Secretaria do Meio Ambiente (Sema). Todos da lista abaixo devem comparecer na sede, a partir de quarta-feira (27), das 08 horas às 16 horas, para receber o dinheiro das verbas rescisórias.

O sindicato fica na Rua Voluntários da Pátria, 595, 5º andar, no Centro Histórico da capital.

Atenção: a assessoria jurídica ressalta que quem já recebeu valores de verbas rescisórias em ações individuais não poderá receber novamente. O juiz do processo frisou que o sindicato deverá tomar muito cuidado quanto a este aspecto a fim de evitar o recebimento de valores em duplicidade.

Os beneficiados são os mesmos vigilantes que receberam uma parte desse dinheiro em abril e maio de 2019, correspondente ao décimo-terceiro e o salário atrasado de dezembro. Agora vão resgatar o restante de uma fatura que se encontrava bloqueada e foi liberada pelo juiz, atendendo a uma solicitação do sindicato.

Mas o processo contra o posto do Estado vai prosseguir e as diferenças que faltarem serão pagas no seu final. “O valor total só vem depois que o processo transitar em julgado e não couber mais nenhum recurso do Estado”, explica o advogado Maurício Vieira da Silva, da assessoria jurídica. 

Após isso, deve acontecer o cálculo de liquidação e depois o pagamento, por precatório, que infelizmente é demorado. Por ser demorado, o sindicato ingressa com pedido de antecipação de tutela e bloqueio de faturas, para que o valor das faturas seja liberado antes do final do processo, acrescentou. 

O presidente do Sindivigilantes do Sul, Loreni Dias, afirmou que isso mostra a importância do sindicato, mais uma vez: “Mesmo quem não é sócio e não contribui com nada está sendo beneficiado com dinheiro no bolso, graças à ação do sindicato, então devem se dar conta da importância da sua entidade sindical e que sem o apoio do trabalhador o sindicato não existe”.

Secretaria da Educação

Quanto à Secretaria da Educação (Seduc), o juiz chegou a deferir o bloqueio de créditos da empresa, mas a Seduc já tinha repassado os valores para a JOB e não havia mais fatura a ser bloqueada. Neste caso, o processo vai ser julgado e quando o Estado parar de recorrer vai acontecer o recebimento por precatório, como os demais. 

À medida que surgirem novidades divulgaremos para o conhecimento de todos, como sempre fazemos. Segue abaixo a lista de quem deve vir ao sindicato, a partir de quarta-feira, trazendo RG ou outro documento com foto e o número do CPF. Por segurança e respeito à privacidade não informamos os valores individuais. 

  1.   Adilmo Gomes da Silveira
  2.   Adilson Adriano Siebert
  3.   Alberto Elias Basílio
  4.   Alberto Francesco Berghetti
  5.   Alceu Gonzaga de Macedo
  6.   Assis Ronaldo Correia de Ass
  7.   Benício Pretto
  8.   Carlos Teixeira de Vargas
  9.   Cirineu da Silva Sena
  10.   Darcio Scholze
  11.   Davi da Silva Sena
  12.   Dilamar Brasil Leal
  13.   Dione Ricardo da Rosa
  14.   Diovani Portes da Silva
  15.   Diuliano da Rosa dos Santos
  16.   Eder Leandro Feller
  17.   Elias Augusto Spanhol Siqueira
  18.   Elias Daniel da Silva
  19.   Emerson Tiago Soares Saraiva
  20.   Enio Elsenbach
  21.   Gilmar Santos de Carvalho
  22.   Henrique Luiz de Lima
  23.   Hugo Rafael dos Santos Jardim
  24.   Inês Machado Pereira
  25.   Jailson Homem Rocho
  26.   Jaisson Konig da Silva
  27.   Janelso de Souza
  28.   Jaques Douglas Santos Vieira
  29.   Jesse dos Santos Duarte
  30.   Jesser da Conceição Rodrigues
  31.   Jesue de Mattos
  32.   José Adriano Pessoa da Rosa
  33.   José de Oliveira Nunes
  34.   Juliano Castilhos Vieira
  35.   Juliano dos Reis Menegaz
  36.   Leandro da Silva Santos
  37.   Leandro de Souza Dias
  38.   Lindomar Zugel Garcia
  39.   Livia Cristine Neves Morais da Silva
  40.   Luciano Guimarães Moraes
  41.   Luciano Justo da Rosa
  42.   Maikel Junior Noetzold
  43.   Marcos Cardoso da Rosa
  44.   Marcos Natal Kugneski da Silva
  45.   Marcos Samir Pieri
  46.   Maristela Rodrigues Schumatz
  47.   Mayco Soares da Silva
  48.   Moises Rodrigues da Silva
  49.   Nilso Antonio Vieira
  50.   Osvaldir Correa da Silva
  51.   Otacilio Rodrigues da Silva
  52.   Paulo Roberto da Rocha
  53.   Pedro Alvaro Camargo
  54.   Rafael Anjos da Silva
  55.    Roberto Carlos Liberalesso
  56.    Robson Costa Ramos
  57.    Robson Martins Gonçalves
  58.    Rodrigo Martins
  59.    Roger Rodrigues da Silva
  60.    Sandra Adelia Ribeiro
  61.    Sidinei Castilhos Vieira
  62.    Tarcisio da Silva Oliveira
  63.    Valmir Bortoleti dos Santos
  64.    Veridiana Borga
  65.    Vilmar Beck
  66.    Wellington Espindola Molossi

Para saber de outros processos mande mensagem de Whatsapp para a assessoria jurídica com nome completo e CPF: 9581-5548

SEGUNDA-FEIRA É DIA DE ASSEMBLEIA EM PORTO ALEGRE, DE MANHÂ E À NOITE

Local será o auditório do Sindicato dos Ferroviários

Local será o auditório do Sindicato dos Ferroviários



Estamos em campanha salarial e segunda-feira, dia 25, acontece a primeira assembleia de Porto Alegre, em duas sessões. Pela manhã, às 07h30 em primeira chamada e às 08 horas em segunda e última chamada, com qualquer número de vigilantes presentes.

À noite, às 19h30 em primeira chamada e às 20 horas em segunda e última chamada, com qualquer número de vigilantes presentes. O local será o auditório do Sindicato dos Ferroviários, à Rua Voluntários da Pátria, nº 595, 5º andar, no mesmo prédio e andar da sede do Sindivigilantes do Sul.

Vamos discutir a nossa pauta de reivindicações para a convenção coletiva de trabalho deste ano. Não vamos esquecer que ano passado não teve aumento por intransigência dos patrões, isso vai ser discutido também. Queremos a recuperação das perdas do período anterior e o reajuste salarial deste ano, além de outras cláusulas.

É fundamental uma grande participação da categoria, porque apenas com muita UNIÃO E MOBILIZAÇÃO será possível avançar e conquistar avanços, sem abrir mão de nenhum direito. Ninguém no RS, de nenhum dos 12 sindicatos de vigilantes, teve reajuste dos salários ano passado.

Os patrões estão sendo oportunistas, querem se aproveitar da pandemia como desculpa para tirar direitos e arrochar os salários. Ano passado não adiantou nem a mediação do Tribunal Regional do Trabalho, que o Sindivigilantes pediu. Chegaram ao ponto de propor uma redução de 12% dos salários.

A direção do Sindivigilantes do Sul respeitou a decisão da categoria nas assembleias, como sempre, e não aceitou uma proposta indecente, sem aumento nenhum, enquanto todos ps preços sobem. Mas para ser diferente em 2021, tem que haver participação e luta da categoria.

VIGILANTE, PARA CONQUISTAR É PRECISO LUTAR!
COMPAREÇA, PARTICIPE DA ASSEMBLEIA!

JUSTIÇA BLOQUEIA FATURAS DO POSTO CETE DA CAMARGO

Vigilantes devem comparecer no sindicato com a Carteira de Trabalho, RG/CPF e três últimos contracheques, se tiverem

Vigilantes devem comparecer no sindicato com a Carteira de Trabalho, RG/CPF e três últimos contracheques, se tiverem



O Sindivigilantes do Sul obteve decisão favorável da Justiça do Trabalho ao bloqueio das faturas e créditos da Camargo Segurança Privada Eireli correspondentes ao posto do Centro Estadual de Treinamento Esportivo (Cete), até o limite de R$ 800 mil, assim como já tinha acontecido com as faturas do Centro Administrativo (Caff).

Tal valor deverá ser depositado na Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil em contas vinculadas ao processo. Com esse recurso deverão ser pagos os salários e verbas rescisórias dos vigilantes da empresa, que declarou falência a semana passada.

Na sua petição inicial, a assessoria jurídica do sindicato informou à Justiça que houve o encerramento repentino das atividades da empresa, sem fornecimento das guias de encaminhamento do seguro-desemprego, saque do Fundo de Garantia, sem pagamento do 13º salário de 2020 e das verbas rescisórias.

Também foi indicada a formação de grupo econômico da Camargo com empresas do grupo JOB, acusado de inúmeros ilícitos administrativos e trabalhistas.

Além do bloqueio, o juiz Maurício Graeff Burin, da 22ª Vara do Trabalho, determinou que a Camargo apresente a relação dos seus empregados no posto para possibilitar o pagamento das verbas rescisórias, bem como a baixa do contrato na Carteira de Trabalho.

Continua valendo a orientação para que os vigilantes compareçam no sindicato para ajuizar ações individuais para conseguir a baixa na carteira de trabalho, liberação do fundo de garantia, seguro desemprego, bem como para incluírem na ação os pagamentos de multas e demais pedidos referentes ao contrato de trabalho.

Para o ajuizamento da ação basta trazer carteira de trabalho, RG/CPF e, se tiverem, os últimos três contracheques.

DIREÇÃO DO PORTO GARANTE PAGAMENTO DIRETO DOS SALÁRIOS DE JANEIRO DOS VIGILANTES

Representantes do Porto e Sindicato tiveram reunião hoje

Representantes do Porto e Sindicato tiveram reunião hoje



Numa reunião na manhã desta quinta-feira, representantes do Cais do Porto garantiram ao diretor de finanças do sindicato, Luis Henrique Aguiar, e ao assessor jurídico, Maurício Vieira da Silva, que a fatura da Camargo Segurança de janeiro vai ser bloqueada e que farão o pagamento direto dos salários deste mês dos seus vigilantes, até 10 de fevereiro, no máximo.

Participaram da reunião com o sindicato, na sede administrativa do Porto, o diretor de portos interiores, Bruno Almeida, o supervisor de segurança, Fábio Gaya, o fiscal administrativo do contrato, Marco Antônio de Oliveira e o chefe de divisão do Porto, Régis Oppelt.

Eles estão muito preocupados com a situação dos vigilantes, que continuam indo ao trabalho sem receber os salários de dezembro, sem o vale-alimentação e o vale-transporte da primeira quinzena, além da falta de combustível das viaturas.

Isso tudo, disseram, configura descumprimento de contrato pela Camargo, mas ele ainda não foi rompido porque falta a Justiça decretar a falência da empresa.

Como foi pedido pelo Sindivigilantes do Sul o bloqueio das faturas de todos os postos da Camargo aos postos e à Justiça do Trabalho, o advogado do sindicato adiantou que vai solicitar ao juiz a destinação do valor bloqueado ao Porto, para se evitar que esse dinheiro tenha outra destinação.

Já está em andamento a licitação de um novo contrato de empresa de vigilância, que tem como concorrentes, com a desclassificação da Camargo, a Proline, Bankfort e Lince.

O sindicato pediu e eles responderam que os atuais vigilantes devem ser mantidos pela nova empresa, como costuma acontecer, pois há alguns com mais de 20 anos de trabalho no local. São 64 vigilantes no posto.

Além disso, os vigilantes devem vir ao sindicato para encaminhar com o advogado as ações individuais, para liberação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), fazer a baixa na Carteira de Trabalho, encaminhamento de seguro desemprego e outros direitos.