MAIORIA DAS NEGOCIAÇÕES SALARIAIS EM 2021 PERDEU PARA A INFLAÇÃO. NÚMERO DE REAJUSTES PARCELADOS AUMENTOU

Metalúrgicos do ABC, em São Paulo

Metalúrgicos do ABC, em São Paulo



O desempenho das negociações salariais no Brasil, avaliadas até novembro pelo Dieese, é negativo para os trabalhadores e trabalhadoras.

A maioria ou quase a metade (48,8%) dos acordos analisados ficou abaixo da inflação, medida pelo INPC-IBGE. Segundo o instituto, aumentou o número de reajustes com parcelamento, provável reflexo do aumento da inflação no país neste ano.

Assim, de janeiro a novembro, segundo o Dieese, os reajustes salariais acima do INPC representaram apenas 16,5% do total.

Os reajustes abaixo da inflação são 48,8% e os iguais à inflação 34,7%. A variação média dos reajustes está em -0,86%.

No mesmo período, 11,3% dos acordos tiveram parcelamento dos reajustes.

Ao longo do ano, cresceu o índice necessário para repor perdas salariais. Em dezembro, o INPC acumulado em 12 meses foi de 10,16%. Em 2020, esse índice somou 5,45%.

Reposição se consegue com luta

Não existe reposição automática da inflação, não há lei e nem norma trabalhista para isto, é algo que se consegue com luta, na negociação com as entidades patronais.

Algumas categorias profissionais conseguiram assegurar reajustes equivalentes ao INPC, caso dos metalúrgicos do ABC paulista (foto), por exemplo. Os bancários já haviam assegurado, em 2020, acordo com dois anos de duração.

Por sua vez, os químicos no estado de São Paulo também asseguram reajuste pela inflação. Segundo cálculos do Dieese, só os reajustes dos metalúrgicos do ABC e dos químicos representam R$ 2,2 bilhões a mais na economia.

Vigilantes no RS tiveram grande conquista

Isto demonstra a grande conquista que os vigilantes da base do Sindivigilantes do Sul e dos sindicatos de São Leopoldo, Pelotas e Uruguaiana tiveram no Estado. Eles garantiram a reposição integral da inflação na data-base, primeiro de fevereiro, mais uma parcela de recuperação da perda de 2020 (0,76%), somando 10,92% de reajuste salarial.

Leia mais clicando no link:

Atenção vigilantes: será de 10,92% o reajuste dos salários na data-base, em fevereiro

Fonte: Sindivigilantes do Sul, com informações do Dieese e da RBA – Rede Brasil Atual.

Foto: Adonis Guerra – SMABC

 

JUSTIÇA ACOLHE TODOS OS PEDIDOS DE BLOQUEIO DE CONTAS DA UNIVIG NAS AÇÕES INDIVIDUAIS



Todos os pedidos de bloqueio das contas da Univig Vigilância Patrimonial, em ações individuais ajuizadas pelo escritório que presta assessoria ao sindicato (Young, Dias, Lauxen & Lima Advogados Associados), foram acolhidos pela Justiça, informa o advogado Maurício Vieira da Silva, assessor jurídico do Sindivigilantes do Sul.

As ações foram ajuizadas em regime de plantão jurídico, pois o Judiciário se encontra em recesso, e as decisões foram do juiz plantonista. Segundo o advogado, o bloqueio de contas tem por objetivo garantir os pagamentos dos processos que os vigilantes estão movendo individualmente, através do escritório.

É mais uma vitória importante para os vigilantes através do esforço do jurídico do sindicato, em benefício daqueles que procuram seus serviços.

“Quanto aos pedidos de baixa na carteira, liberação de alvará para FGTS e Seguro Desemprego e pagamento dos salários, serão analisados pelo juiz responsável pela causa após o término do recesso do Judiciário, dia 22 de janeiro”, informa o assessor jurídico.

Para os demais vigilantes da empresa, que estão sofrendo com atrasos de salários, décimo-terceiro e outros direitos lesados, continua a orientação para que compareçam no plantão da assessoria jurídica, às segundas, terças e quartas-feiras, das 10h às 14 horas, para encaminhamento das ações individuais.

Situação instável

Nas suas decisões, o juiz plantonista ressalta que os documentos do processo evidenciam indícios de que a Univig se encontra em situação bastante instável, com risco real de ter cancelada sua licença para exercício da atividade econômica, mantida atualmente em caráter precário, por força de medida liminar.

Considera ainda que a resposta da Univig ao ofício enviado pelo sindicato “denota a dificuldade financeira pela qual a empresa passa, corroborando com a incerteza de obtenção de resultado útil ao processo em caso de eventual procedência dos pedidos”.

Neste sentido, o juiz considerou procedente as ações e concedeu o bloqueio de valores nas contas da empresa.

ATENÇÃO VIGILANTES: SERÁ DE 10,92% O REAJUSTE DOS SALÁRIOS NA DATA-BASE, EM FEVEREIRO

Para se conseguir isto, foi preciso enfrentar muita pressão e muita luta,  disse o presidente

Para se conseguir isto, foi preciso enfrentar muita pressão e muita luta, disse o presidente



O presidente Loreni Dias anunciou, na manhã desta terça-feira (11), que o reajuste salarial da categoria na data-base, primeiro de fevereiro, será de 10,92%. Com isso, o piso salarial dos vigilantes vai aumentar para R$ 1.764,35 e dos ASP para R$ 1.390,98 – valores que serão pagos a partir de março.

Esse percentual de 10,92% corresponde à reposição integral da inflação, divulgada pelo IBGE, que fechou os últimos 12 meses em 10,16% pelo índice nacional de preços ao consumidor (INPC), mais 0,76366% referente a uma das parcelas de reposição das perdas de 2020.

Quando o Sindivigilantes do Sul assinou a convenção coletiva de trabalho (CCT) em setembro do ano passado, após muita luta, com 6,01% de reajuste, ficou garantido e assinado também este novo aumento para a data-base de 2022.

“Já garantimos o reajuste de 2022 e pela primeira vez, em muitos anos, os vigilantes ficam sabendo tão cedo do próximo aumento, com a reposição integral da inflação, que muito poucos sindicatos estão conseguindo, e ainda a parcela da reposição das perdas passadas”,  disse o presidente.

Vale-alimentação sobe 11,32%

O vale-alimentação sobe na data-base para R$ 23,93 com a reposição integral da inflação, mais uma reposição de perdas de 1,165%, somando 11,32% de reajuste.

“Conseguimos isto sofrendo muita pressão da patronal e da oposição pelega, inclusive fazendo abaixo-assinado contra nós, e enfrentando os sindicatos pelegos de outras bases, que assinaram acordos zerados, do jeito que os patrões queriam, e agora estão fazendo aditivos para igualar com a nossa convenção”, ressaltou Dias.

Ele disse ainda que “com a resistência da diretoria do Sindivigilantes do Sul e dos sindicatos de Pelotas, São Leopoldo e Uruguaiana, nós vencemos, duas batalhas, uma em 2020, que a pelegada assinou zerada e nós garantimos a reposição dessas perdas, e agora com uma grande vitória, já garantimos o aumento de 2022 com a reposição integral da inflação”.

“Não é exatamente o que a gente queria, mas com toda a crise econômica que existe, agravada pela pandemia do coronavírus, podemos dizer que foi uma grande conquista, sem dúvida”, afirmou Dias. “A pelegada agora que corra atrás para tentar se igualar com o que conquistamos”, completou.

Leia também:

Maior parte das negociações salariais perde da inflação em 2021. Aumenta o número de reajuste parcelados diz Dieese

Íntegra da Convenção Coletiva de Trabalho 2021

Aqui tem resistência, aqui tem luta, e só quem luta conquista!

Nota: Os cálculos das tabelas dos salários estão sendo feitos, assim que forem concluídos publicaremos no site do sindicato, como sempre.

CENTRAIS SINDICAIS QUEREM DEBATER REVOGAÇÃO DA REFORMA TRABALHISTA

O presidente da CUT, Sérgio Nobre, e os presidentes de mais cinco centrais divulgaram nota quinta-feira

O presidente da CUT, Sérgio Nobre, e os presidentes de mais cinco centrais divulgaram nota quinta-feira



O presidente nacional da CUT, Sérgio Nobre, e mais cinco presidentes de centrais sindicais divulgaram quinta-feira (6) uma nota em que defendem o debate no Brasil para que a reforma Trabalhista de Michel Temer, aprovada em 2017, seja revogada, assim como fez o novo governo da Espanha, de centro-esquerda.

Para as centrais, o retorno de direitos dos trabalhadores na Espanha é uma sinalização de que o mesmo pode ser feito no Brasil, já que a reforma aqui não trouxe os 6 milhões de empregos anunciados. Ao contrário, aumentou o desemprego, precarizou as relações trabalhistas e ainda retirou renda dos trabalhadores e trabalhadoras.

Confira a íntegra da nota das Centrais Sindicais

Centrais Sindicais saúdam acordo trabalhista espanhol.
Precarização do emprego não gera desenvolvimento

As Centrais Sindicais saúdam com louvor os novos ventos que sopram da Espanha no mundo do trabalho. Em 23 de dezembro, o Conselho de Ministros aprovou o Decreto-Lei Real que trata do acordo articulado pelo governo espanhol com as entidades sindicais (CCOO e UGT) e empresarias (CEOE e CEPYME) para reformular as regras laborais e de relações de trabalho naquele país.

Após a eleição majoritária espanhola de 2019, vencida por uma coalizão de centro-esquerda, foi aberto um debate entre sindicatos, empresários e governo que resultou no Decreto-Lei Real, proposta que será apreciada pelo parlamento espanhol.

Ainda na campanha eleitoral, a sociedade demonstrou que queria mudanças. Essa pressão estimulou negociações entre sindicatos e representantes patronais. O governo eleito captou essa demanda social e tem incentivado essa relação.

Entendemos que esse novo acordo pode ser uma sinalização que estimule reabrirmos esse debate também no Brasil. Recordemos que a reforma trabalhista espanhola é fonte de inspiração para realizar no nosso país o desmonte dos direitos, a precarização dos vínculos laborais e o ataque os sindicatos e às negociações. O argumento é o mesmo: reduzir o custo do trabalho para gerar empregos.

Passados quatro anos está claro que os objetivos da reforma trabalhista de Michel Temer, ampliada e aprofundada por Bolsonaro, revelou-se um desastre para a classe trabalhadora e para a nação. Nesse período o desemprego aumentou, a precarização e a insegurança laboral se generalizaram, arrocho salarial, pobreza e desigualdade se expandiram, trazendo crescimento econômico rastejante e aumento das mazelas sociais.

Esse já era o quadro antes da pandemia de março de 2020. Após a adoção das medidas necessárias para contenção do coronavírus, a crise se tornou uma verdadeira calamidade.

Vemos as mudanças que se aceleram no mundo do trabalho e nas relações laborais e, diante disso, como representantes da classe trabalhadora, temos o direito de exigir que o diálogo prevaleça para formular as necessárias mudanças, o que nos foi negado desde a posse de Bolsonaro em 2019. No debate eleitoral de 2022 a geração de emprego de qualidade, a valorização dos salários, a proteção laboral, social, previdenciária e sindical deverá ser central.

Este debate será também um incentivo para que mais trabalhadores se candidatem e possam nos representar no Congresso Nacional e Assembleias Legislativas.As mudanças que estão acontecendo na Espanha nos dão a esperança de que por aqui também possamos rever pontos de uma reforma que foi imposta sem um debate social e com um deliberado viés pró capital e antissindical.

A unidade de ação das centrais sindicais brasileiras abraça essa causa, e aposta no caminho do entendimento e da mobilização para o beneficio de toda sociedade.

São Paulo, 5 de janeiro de 2022.

Assinam

Sérgio Nobre, Presidente da CUT – Central Única dos Trabalhadores
Miguel Torres, Presidente da Força Sindical
Ricardo Patah, Presidente da UGT – União Geral dos Trabalhadores
Antonio Neto, Presidente da CSB – Central dos Sindicatos Brasileiros
Adilson Araújo, Presidente da CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil
Oswaldo Augusto de Barros, Presidente da NCST – Nova Central Sindical de Trabalhadores

Foto: Roberto Parizzotti

Fonte: CUT Brasil

DEMISSÕES NO TRINTÍDIO GERAM MULTA PARA AS EMPRESAS

Salário - dinheiro - carteira do trabalho site



A assessoria jurídica do Sindivigilantes do Sul confirma que está vigor a norma legal do trintídio. Ela restringe as demissões de trabalhadores nos 30 dias anteriores à data-base que marca o início das negociações salariais da categoria, em primeiro de fevereiro.

Embora já tenha sido acertado o próximo aumento dos vigilantes na convenção coletiva de trabalho (CCT) assinada em 2021, pela reposição integral da inflação (INPC), a empresa que demitir SEM JUSTA CAUSA causa neste período deverá pagar uma indenização ao trabalhador demitido.

Assinada e registrada no Ministério do Trabalho, a CCT manteve a data-base para 2022, esclarece o advogado Maurício Vieira da Silva, da assessoria jurídica. A multa está prevista no artigo 9º da Lei nº 7.238 /84.

“É a multa pela despedida do empregado nos 30 dias que antecedem a data-base e, em caso de extinção do contrato neste período, será devida ao empregado multa indenizatória em valor equivalente à sua remuneração”, informa.

Ele ressalta que essa multa NÃO é devida nos casos de pedido de demissão do empregado, rescisão por justa causa ou nos casos de rescisão por acordo, conforme o artigo 484-A da CLT.

“Uma situação importante a destacar e esclarecer é o fato de que nos casos onde for concedido o aviso prévio no trintídio anterior, mas efetivada a extinção do contrato de trabalho após a data-base (1º de fevereiro), em razão da projeção do aviso prévio indenizado, não é devida a multa. O aviso prévio íntegra o contrato de trabalho para todos os fins”, acrescenta.

Qualquer dúvida ou situação irregular, procure nossa assessoria jurídica. Os plantões com o dr. Maurício continuam acontecendo, mesmo no recesso do Judiciário, às segundas, terças e quartas-feiras, das 10h às 14h.

Mais informações: (51) 3224-4545 ou 3225-5070.

– Nota: Fizemos uma modificação no título, em relação ao texto enviado anteriormente, para maior clareza. O período de trinta dias de que trata a Lei referida conta-se da data do término do contrato de trabalho e não da comunicação da dispensa.

CONVÊNIO DO CLIP ESCOLÃO TEM LOJAS EM GUAÍBA, CHARQUEADAS E S. JERÔNIMO

Matriz fica em Guaíba

Matriz fica em Guaíba



O Clip Escolão é uma loja conveniada do Sindivigilantes do Sul com matriz em Guaíba, filiais em Charqueadas e São Jerônimo e que recebe muitos elogios de quem já a conhece.

Nesta loja os clientes encontram uma grande variedade de produtos, com bons preços e diversas promoções, como:

– material escolar;
– utensílios domésticos;
– eletroeletrônicos;
– materiais de escritório;
– equipamentos de informática;
– brinquedos, etc.

Sócios do sindicato podem fazer suas compras no Clip Escolão em até seis vezes, com parcelas mínimas de R$ 60,00 e desconto em folha.

Veja os endereços:

  • Guaíba – Rua São José, 235, Centro.
    Fone: 3055.2200
  • Charqueadas – Rua Rui Barbosa, 284, Centro.
    Fone: 3658.3001
  • São Jerônimo – Rua Ramiro Barcelos, 314, Centro.
    Fone: 3651-2354

IMG_20211220_151353018

Site - IMG_20211220_151118999

IMG_20211220_151109022

 

 

 

AÇÕES POR CRIMES CONTRA A VIDA IMPEDEM PARTICIPAÇÃO DE VIGILANTE EM CURSO DE RECICLAGEM

STJ site



A Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) reformou o acórdão do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5 – PE) que havia garantido a um vigilante de Pernambuco o direito de participação em um curso de reciclagem profissional, sendo que ele responde a dois processos por crimes contra a vida e a outro por violência doméstica contra a mulher.

Mas para os ministros do STJ, embora as ações penais ainda estejam em andamento, as acusações contra o candidato são incompatíveis com o exercício da atividade de vigilante e ele não pode fazer a reciclagem.

A participação no curso de reciclagem foi negada pela Polícia Federal (PF) em razão da existência dos processos criminais. Por isso, o vigilante ajuizou ação ordinária contra a União, a qual foi julgada improcedente em primeira instância.

Em segundo grau, o TRF5 reformou a sentença por entender que a portaria da PF que regulamentava a participação dos vigilantes no curso de reciclagem, ao exigir do candidato a ausência de inquéritos e ações penais em andamento, trouxe limitação maior do que a prevista na Lei 7.102/1993, além de violar o princípio constitucional da presunção de inocência.

Processos por crimes dolosos contra a vida

Relator do recurso da União, o ministro Benedito Gonçalves afirmou que, para a jurisprudência do STJ, viola o princípio da presunção de inocência a negativa de registro e homologação da participação em curso de formação ou reciclagem de vigilante devido a inquérito ou ação penal ainda não transitada em julgado. Especialmente, quando o delito imputado não envolve emprego de violência contra pessoa ou comportamento incompatível com o exercício da profissão.

Entretanto, neste caso, o magistrado destacou que a PF indeferiu o pedido de registro do vigilante na reciclagem porque ele está sendo processado por dois crimes dolosos contra a vida (um deles, tentativa de homicídio com emprego de arma de fogo) e também por um delito de violência contra a mulher.

O ministro restabeleceu a sentença que negou o pedido de registro porque a situação “denota incompatibilidade com o exercício da profissão de vigilante” e traduz “uma valoração negativa da conduta exigida do profissional”.

Leia o acórdão no REsp 1.562.104.

Fonte: STJ

SINDICATO VAI PROMOVER GRANDE FESTIVAL DE PRÊMIOS PELO DIA DO VIGILANTE

Para se conseguir isto, foi preciso enfrentar muita pressão e muita luta,  disse o presidente

Para se conseguir isto, foi preciso enfrentar muita pressão e muita luta, disse o presidente



O Sindivigilantes do Sul vai promover um grande festival de prêmios para todos os sócios e sócias que tiverem se associado no sindicato até o final de fevereiro de 2022. Os sorteios vão acontecer diariamente, de 1º a 20 de junho, Dia do Vigilante. A promoção faz parte de uma campanha para ampliar o quadro social do sindicato.

“Como não poderemos fazer a Festa do Vigilante, devido à pandemia que não se sabe quando vai terminar, vamos fazer vários sorteios de prêmios durante o mês de junho, quando acontece o Dia do Vigilante, como forma de incentivar a inscrição de novos sócios no sindicato”, anunciou o presidente, Loreni Dias (foto), nesta segunda-feira (03).

Vale lembrar que, além de concorrer aos prêmios que serão sorteados, os associados têm direito a muitos benefícios, como a Colônia de Férias, Cartão de Crédito Bullla Mastercard, cestas básicas a preços acessíveis e mais de 100 convênios com desconto em folha.

Além disso, sendo sócios os vigilantes ajudam a manter e fortalecer a entidade que luta por seus direitos, por melhores condições de trabalho e melhores salários. Inclusive, o sindicato já garantiu um novo aumento salarial na próxima data-base, em primeiro de fevereiro, pelo índice integral da inflação (INPC), que em dezembro chegou a 10,96%.

Para se associar, o (a) vigilante precisa comparecer no sindicato com RG, a carteira de trabalho assinada ou o último contracheque, que não seja de férias, comprovante de endereço e comprovação dos dependentes. Vigilantes do interior podem encaminhar a documentação pelo diretor (a) da região ou por email e whatsapp.

Moto e prêmios em dinheiro

Serão dois prêmios sorteados diariamente, a partir de primeiro de junho, tais como ar-condicionado, bicicleta, smartphone, máquina de lavar roupa e prêmios em dinheiro, inclusive. No Dia do Vigilante, serão dez sorteios de grandes prêmios, entre eles uma motocicleta de 150 cilindradas, cinco mil reais, notebook e outros.

Mas atenção: o presidente reforça que só vai concorrer aos prêmios quem se associar ao sindicato até 28 de fevereiro. Por isso, não perca tempo, associe-se logo!

Veja a lista completa dos prêmios e as datas dos sorteios:

Dia 1º de junho
1- Kit entrevero
2- Fogão 4 bocvas

Dia 2 de junho
1- Smartphone
2- Fritadeira elétrica sem óleo

Dia 3 de junho
1- Máquina de lavar roupas 12 kg
2- Forno elétrico

Dia 4 de junho
1- Panela elétrica
2- Ar-condicionado

Dia 6 de junho
1- TV de 40 polegadas smart
2- Micro-ondas

Dia 7 de junho
1- Churrasqueira elétrica
2- Bicicleta

Dia 8 de junho
1- Notebook
2- Smartphone

Dia 9 de junho
1- Freezer
2- Kit entrevero

Dia 10 de junho
1- Fritadeira elétrica sem óleo
2- Forno elétrico

Dia 11 de junho
1- Prêmio de 2 mil reais
2- Ar-condicionado

Dia 13 de junho
1- Máquina de lavar
2- Panela elétrica

Dia 14 de junho
1- Fogão 4 bocas
2- Bicicleta

Dia 15 de junho
1- Geladeira duplex
2- Micro-ondas

Dia 17 de junho
1- Panela elétrica
2- Smartphone

Dia 18 de junho
1- Freezer
2- Kit entrevero

Dia 20 de junho – Dia do Vigilante
1- Moto 150 cc
2- Prêmio de 5 mil reais
3- TV 55 polegadas
4- Notebook
5- Máquina de lavar roupas
6- Geladeira duplex
7- Ar-condicionado
8- Forno elétrico
9- Churrasqueira
10- Freezer

O regulamento dos sorteios será definido e divulgado em breve. Para outras informações: (51) 3224-4545 ou 3225-5070.

ASSOCIE-SE AO SINDIVIGILANTES DO SUL, FORTALEÇA SEU SINDICATO E CONCORRA A TODOS ESSES PRÊMIOS!

SINDICATO COBRA MAIS AGILIDADE DO DMAE NA SOLUÇÃO PARA SALÁRIOS ATRASADOS

Salário - dinheiro - carteira do trabalho site



O Sindivigilantes do Sul enviou, na manhã desta terça-feira (28), mensagem ao gerente de serviços compartilhados do Departamento Municipal de Água e Esgotos da capital (Dmae), Dick Anderson da Silva Naziazeno. Na correspondência, assinada pelo diretor-financeiro Luis Henrique Aguiar, o sindicato cobra mais agilidade na solução para os salários e décimo-terceiro atrasados dos vigilantes da Univig, que presta serviço ao órgão.

Em resposta à notificação do sindicato, que solicitou o bloqueio das faturas da Univig Vigilância Patrimonial e o pagamento direto aos vigilantes, o Dmae respondeu, dia 21, que estava tomando providências neste sentido. No entanto, os vigilantes continuam sem receber, na última semana do ano.

Por isso, o sindicato voltou a pedir hoje que o departamento resolva o problema “com a máxima urgência”.

Ao mesmo tempo, o sindicato continua orientando os vigilantes da Univig que compareçam na assessoria jurídica, segunda, terça e quarta-feira, das 10h às 14 horas, na sede. Será encaminhada uma rescisão indireta de contrato, com liberação do Fundo de Garantia e seguro-desemprego, além da abertura de ação judicial para cobrança dos vencimentos atrasados.

Os demais postos com atrasos de pagamentos também foram notificados pelo sindicato.

Leia abaixo a correspondência encaminhada hoje para o Dmae. 

Porto Alegre, 28 de dezembro de 2021.

Ao Ilmo. Senhor
Dick Anderson da Silva Naziazeno
Gerente de Serviços Compartilhados
Departamento Municipal de Água e Esgotos
Nesta Capital

Prezado Senhor:

Com extrema preocupação constatamos que, nesta data, os vigilantes da empresa Univig Vigilância Patrimonial, prestadora de serviço em seu departamento, ainda não receberam seus salários de novembro e as parcelas do décimo-terceiro salário.

Tendo em vista sua correspondência de 21/12/2021, esperávamos mais agilidade na solução do presente caso, pois é muito grande o drama vivido pelos trabalhadores e trabalhadoras, uma vez que estamos nos encaminhando para o fim do ano, tendo já passado o Natal, sem terem recursos para prover suas famílias em suas necessidades básicas.

Continuamos recebendo reclamações e apelos dos (as) vigilantes por uma solução. Por isso, solicitamos, encarecidamente, que seja agilizado o pagamento dos salários do mês e décimo-terceiro pelo Dmae, com a máxima urgência, nos termos do ofício 1006/2021 do Sindivigilantes do Sul, pois já se  tornou desesperadora esta situação.

Na expectativa das suas providências imediatas, com a mais elevada consideração, firmamo-nos,

Atenciosamente,

Luis Henrique Aguiar
Diretor-Financeiro
Rua:Voluntários da Pátria 595 5º andar
Fones:32244545 -32255070

NÃO TEREMOS EXPEDIENTE SEXTA-FEIRA, DIA 31

Aviso - Fim de ano

Aviso - Fim de ano



O Sindivigilantes do Sul não terá expediente na sede na próxima sexta-feira, dia 31, véspera de ano novo. O atendimento normal volta segunda-feira, dia 03. das 07h30 às 14 horas. Os plantões da assessoria jurídica também, segunda, terça e quarta-feira, das 10h às 14h.