Arquivo do autor:admin

CANDIDATO AO SENADO, GENERAL MOURÃO JÁ ATACOU 13º E ABONO DE FÉRIAS

Vídeo mostra Mourão atacando os direitos trabalhistas 
(Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil)

Vídeo mostra Mourão atacando os direitos trabalhistas (Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil)



Os trabalhadores e as trabalhadoras têm motivos de sobra para se preocupar com a trajetória e as propostas de retirada de direitos defendidas por vários candidatos e candidatas que disputam as eleições no dia 2 de outubro.

Um desses postulantes é o general da reserva e atual vice-presidente Hamilton Mourão (Republicanos), que foi preterido na chapa à reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL) e concorre ao Senado pelo Rio Grande do Sul.

Ele já atacou o 13º salário, o abono de férias e ainda defende a reforma Administrativa, que pode acabar com o serviço público no país. Para ele, trabalhadores têm direitos demais, o que complica a vida do empresário.

Tire as mãos dos direitos conquistados

Na campanha de 2018, Mourão atacou o 13º salário e o abono de férias em uma palestra para empresários do comércio em Uruguaiana (RS), em 27 de setembro, às vésperas do primeiro turno das eleições.

No evento, promovido pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade, o militar falou da reforma Trabalhista do ilegítimo Michel Temer (MDB-SP), que acabou com mais de 100 itens da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e criticou os direitos conquistados pela classe trabalhadora.

“Temos algumas jabuticabas que a gente sabe que é uma mochila nas costas de todo empresário brasileiro. Jabuticabas brasileiras: 13º salário. Se a gente arrecada 12, como pagamos 13? É complicado”, afirmou.

Mourão disse também que “o Brasil é o único lugar que a gente, quando entra em férias, ganha mais” ao comentar sobre o abono de um terço do salário pago trabalhador quando entra em férias. “São coisas nossas, essa legislação sempre dita social, mas com o chapéu dos outros, não o do governo.”

Assista ao vídeo

https://youtu.be/pgy_I4pa4w8

13º não é jabuticaba, rebate presidente da CUT-RS

“O general estava desinformado ou faltou com a verdade, a exemplo de Bolsonaro que vive disparando mentiras”, diz o presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci.

“O 13º não é jabuticaba, é conquista, e garante renda ao trabalhador para as festas de fim de ano, além de aquecer a economia. O abono de férias também é importante. O militar não conhece a dureza da vida do trabalhador”, acrescenta o dirigente.

xAmarildo-0904-1.jpg.pagespeed.ic.HBwT1MwhVb

Foto: Carolina Lima / CUT-RS

Segundo Amarildo, o 13º foi aprovado no Congresso Nacional após forte mobilização dos trabalhadores e sancionado em 13 de julho de 1962 pelo presidente João Goulart o Jango, como a Lei 4.090/1962.

Além do Brasil, segundo levantamento do Tribunal Superior do Trabalho (TST), vários países pagam benefício semelhante ao trabalhador e à trabalhadora. É o caso de Portugal, México, Argentina, Uruguai, Espanha e Itália. A remuneração, também chamada de auxílio natalino, é paga na época do Natal.

“Cortar direitos, como propôs Mourão, não gerou os seis milhões de empregos prometidos pela reforma Trabalhista. Ao contrário, manteve o desemprego em alta, precarizou o trabalho, aumentou a informalidade, reduziu a renda e empobreceu a classe trabalhadora”, salienta o presidente da CUT-RS.

Não à reforma Administrativa

Na campanha para o Senado pelo RS, Mourão demonstra desconhecimento também sobre a importância do serviço público prestado aos brasileiros pelos servidores ao defender a reforma Administrativa, que Bolsonaro e o ministro da Economia, o banqueiro Paulo Guedes, tentaram aprovar no ano passado no Congresso.

Essa reforma, que pode aumentar a corrupção, reduzir a transparência da gestão e fragilizar o serviço público do país, só não foi aprovada graças à intensa mobilização dos servidores e das servidoras das três esferas – federal, estadual e municipal. A proposta, na verdade, não chegou sequer a ser votada.

A PEC 32 (reforma Administrativa) é o fim dos serviços públicos, que seriam terceirizados ou da privatizados. Se fosse aprovada, acabaria  os concursos para a maioria dos cargos públicos e, com isso, os governantes de plantão poderiam indicar cabos eleitorais, parentes e amigos, inclusive em funções técnicas.

Políticos poderiam nomear 1 milhão de amigos ou parentes se PEC 32 fosse aprovada.

“O trabalhador e a trabalhadora não pode escolher para representante no Senado, na Câmara dos Deputados ou na Assembleia Legislativa quem é contra os direitos trabalhistas e os serviços públicos de acesso gratuito, universal e de qualidade”, orienta Amarildo.

“Temos que separar o joio do trigo”, ressalta o dirigente da CUT-RS.

Disputa pelo Senado no RS

Esta semana, o ex-governador Olívio Dutra disparou e está isolado em primeiro lugar na disputa pela vaga do RS no Senado, com 30% das intenções de voto, dois pontos a mais do que na pesquisa anterior, de 16 de setembro, segundo o Ipec.

Em segundo lugar está a ex-senadora Ana Amélia Lemos (PSD), que caiu um ponto, de 25% para 24%. Em terceiro, aparece Mourão, que oscilou dois pontos para cima, de 19% para 21%.

Confira aqui mais dados sobre a disputa no RS .

Fonte: Ademir Wiederkehr / CUT-RS 

11 PARLAMENTARES DO RS QUE VOTARAM A FAVOR DA REFORMA TRABALHISTA SÃO CANDIDATOS

Onix, Heinze, Ana Amélia e Lasier são candidatos nesta eleição

Onix, Heinze, Ana Amélia e Lasier são candidatos nesta eleição



Com o voto a favor da reforma trabalhista do governo ilegítimo de Michel Temer (MDB), em 2017, deputados federais e senadores tiraram direitos da classe trabalhadora, precarizaram o mundo do trabalho, cortaram empregos com carteira assinada e aumentaram a informalidade. Além disso, dificultaram a realização do sonho da aposentadoria de milhões de trabalhadores e trabalhadoras e agora querem se reeleger.

Um total de 11 dos 16 parlamentares do Rio Grande do Sul, que foram favoráveis à maior destruição de direitos trabalhistas na história do Brasil e que foi mantida e aprofundada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), disputam cargos eletivos em 2 de outubro.

Dois concorrem para governador – o ex-ministro e deputado Onyx Lorenzoni (PL) e o atual senador Luis Carlos Heinze (PP) – e oito são candidatos a deputado federal, dentre eles o atual senador Lasier Martins (Podemos). E a candidata Ana Amélia (PSD) tenta voltar e ser eleita senadora.

O levantamento foi realizado pela CUT-RS junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ao Congresso Nacional. O objetivo é alertar os trabalhadores e as trabalhadoras, para que escolham candidatos comprometidos com a defesa dos direitos sociais e trabalhistas, evitando a eleição de políticos aliados às elites dominantes.

Quem votou, não volta

“O povo gaúcho tem que marcar na paleta os candidatos e seus partidos que votaram contra os interesses da classe trabalhadora. Quem votou, não volta”, afirma o presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci.

O dirigente da CUT-RS salienta que muitos candidatos e partidos de direita e de centro-direita prometem na campanha que irão proteger os direitos dos trabalhadores, mas é apenas uma jogada eleitoreira para ganhar votos. Eleitos, defendem os projetos dos grandes empresários.

“O que vale não são as promessas, nem as emendas de recursos que os deputados destinaram aos municípios, mas sim como eles votaram em projetos que envolvem direitos da classe trabalhadora, qual é a trajetória do parlamentar e quem eles apoiam”, explica Amarildo.

Segundo ele, “ao refrescar a memória sobre os deputados e os senadores que viraram as costas para a classe trabalhadora, queremos auxiliar cada eleitor e eleitora para fazer a escolha certa de seus representantes para os governos e os parlamentos”.

“Temos que separar o joio do trigo”, defende Amarildo. “Esse time que votou a favor da reforma trabalhista mostra que não representa os interesses de quem trabalha.”

Confira os parlamentares gaúchos que votaram contra os trabalhadores e ajudaram a aprovar a reforma trabalhista e querem se eleger de novo.
(preste atenção nos partidos, também)

Candidatos a governador

Onyx Lorenzoni (PL)
Luís Carlos Heinze (PP)

Candidata a senadora

Ana Amélia (PSD)

Candidatos a deputado federal

Alceu Moreira (MDB)
Mauro Pereira (MDB)

Danrlei (PSD)

Covatti Filho (PP)
Renato Molling (PP)

Lasier Martins (Podemos)

Carlos Gomes (Republicanos)
Ronaldo Nogueira (Republicanos)

Queremos a revogação das reformas trabalhista e da Previdência

A reforma Trabalhista, que passou na Câmara dos Deputados, em 26 de abril de 2017, e no Senado em 11 de julho de 2017, virou a Lei nº 13.467, de 13 de julho de 2017.

A nova legislação, aprovada logo depois do golpe que derrubou a ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) em 2016, não cumpriu as promessas de geração de seis milhões de empregos, piorou as condições de trabalho, rebaixou salários, legalizou “o bico”, criou os contratos de trabalho intermitente, prejudicou a organização dos sindicatos, dificultou o acesso à Justiça do Trabalho e trouxe impactos negativos na economia do país e na Previdência Social.

Todas as mudanças causaram perdas de direitos para a classe trabalhadora.

Segundo a economista, especialista em Previdência e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Denise Gentil, as reformas trabalhista e da Previdência contribuíram para a queda na renda e a piora na qualidade de vida dos aposentados.

A reforma trabalhista precarizou a Previdência. Sem renda não há contribuição e sem contribuição não há renda para a aposentadoria”, alerta.

Por isso, a CUT e as centrais sindicais defendem a revogação das reformas trabalhista e da Previdência.

Leia mais

21 parlamentares do RS que votaram a favor da reforma da Previdência são candidatos

36 deputados que votaram a favor da privatização da CEEE são candidatos no RS

32 deputados que autorizaram a privatização da Corsan são candidatos nas eleições

30 deputados que votaram reajuste zero ao piso regional são candidatos

Fonte: CUT RS

ASSÉDIO ELEITORAL É CRIME: FOLHETO DAS CENTRAIS ORIENTA TRABALHADOR A DENUNCIAR

Coação é crime - CUT - site



Nove centrais sindicais estão distribuindo um folheto sobre assédio ou coação eleitoral, explicando que a prática é um crime previsto na legislação brasileira, e dando informações sobre como e onde os trabalhadores e trabalhadoras podem denunciar.

“Liberdade eleitoral, eleição 2022: Coação Eleitoral é crime” é o título do panfleto, que começa dizendo que “os patrões que ameaçam demitir quem não votar no candidato que atende seus interesses, ou os que querem obrigar os trabalhadores e trabalhadoras a não votar no candidato comprometido com a pauta da classe trabalhadora, estão cometendo crime eleitoral”.

Esse foi o caso da ruralista baiana que divulgou vídeo estimulando os colegas empresários do agronegócio do oeste do estado a demitir ‘sem dó’ os trabalhadores que tivessem revelada a intenção de votar no ex-presidente Lula (PT). Essa semana, ela assinou um termo de ajuste de conduta (TAC) com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e terá de se retratar, reconhecendo que errou ao praticar assédio eleitoral.

Procure o sindicato ou o MPT e denuncie sem medo

O trabalhador que for vítima de crimes como esse praticado pela empresária baiana, deve procurar o sindicato da categoria ou o Ministério Público do Trabalho (MPT) para denunciar, orienta o folheto das centrais.

E quem estiver preocupado com retaliações, pode ficar tranquilo: a denúncia pode ser anônima. O trabalhador não precisa se identificar, diz o folheto.

Somos a maioria e exigimos respeito

“Somos a maioria do eleitorado brasileiro e podemos decidir a eleição no dia 2 de outubro elegendo o novo presidente da República, governadores, senadores e deputados federais e estaduais que elaborem projetos, leis e medidas econômicas, trabalhistas, sociais e previdenciárias favoráveis à classe trabalhadora e à maioria do povo”, segue o texto.

“Alguns patrões temem perder privilégios e também não querem que o trabalhador conquiste direitos. Por isso, ameaçam para que mudemos o voto”, diz o panfleto.

O panfleto também lista as punições aos patrões que praticarem assédio político-eleitoral, entre elas, a condenação por danos morais coletivos ou danos individuais aos trabalhadores vitimados e  multas diárias. O responsável pelo assédio eleitoral também poderá ser punido, seja ele o patrão ou algum chefe, inclusive criminalmente.

Assinam o panfleto: CUT, Força Sindical, CTB, UGT, CSB, CSP Conlutas, NCST, Pública (Central dos Servidores) e Intersindical (Central da Classe Trabalhadora).

Clique aqui e leia a íntegra do folheto.

SINDICATO NOTIFICA SELTEC PARA QUE COLOQUE EM DIA PAGAMENTOS ATRASADOS



O Sindivigilantes do Sul notificou a Seltec Segurança para que a empresa pague, imediatamente, o salário, vale alimentação e transporte em atraso, mediante depósito bancário na conta dos trabalhadores, comprovando documentalmente ao sindicato o pagamento, assim como os reajustes previstos na Convenção Coletiva, inclusive os valores retroativos, e não cometa mais esses atrasos, que vêm se repetindo há meses.

A medida foi tomada, nesta segunda-feira (05), através da assessoria jurídica do sindicato, depois que a empresa deixou de cumprir a promessa de que colocaria tudo em dia até o final de agosto.

Também está sendo cobrado que a Seltec comprove os repasses do FGTS dos meses que estiveram em atraso, o pagamento em dobro das férias concedidas cujo pagamento não cumpriu os prazos da CLT e, ainda, a quitação das verbas rescisórias dos funcionários demitidos.

Pagamentos devem ser comprovados

Esses e outros pagamentos deverão ser comprovados ao sindicato, juntamente com os repasses dos valores que foram descontados dos contracheques dos trabalhadores referentes às mensalidades do Sindivigilantes e seus convênios, sob pena de comunicação do fato à Polícia Federal.

Segundo a notificação encaminhada à empresa, “o Sindicato tomou conhecimento, por meio de denúncias, que a oficiada (Seltec) vem descumprindo, de forma reiterada, diversos direitos trabalhistas de seus empregados, bem como, não cumpre a Convenção Coletiva de Trabalho.”

Foram requeridos esclarecimentos e diversos documentos da Seltec, a fim de comprovar o cumprimento de suas obrigações, no prazo de cinco dias.

Caso não cumpra e não responda o que está sendo solicitado, o sindicato adianta no documento que vai realizar denúncia junto aos órgãos competentes, como Ministério Público do Trabalho, bem como vai ajuizar ação judicial na Justiça do Trabalho para a defesa dos direitos dos trabalhadores.

Não abra mão de seus direitos, denuncie ao sindicato e procure nossa assessoria jurídica. Plantões às segundas, terças e quartas-feiras, das 10h às 14h, na sede do Sindivigilantes do Sul, à Rua Voluntários da Pátria, 595, 5º andar, Centro Histórico de Porto Alegre.

URGENTE: FAMÍLIA DA MARIA LUIZA PEDE AJUDA PARA ELA CONTINUAR TRATAMENTO

Luiza, 11 anos, com  o pai, Paulo Roberto, vigilante da GPS

Luiza, 11 anos, com o pai, Paulo Roberto, vigilante da GPS



A menina Maria Luiza, 11 anos, filha do colega Paulo Roberto Vieira da Silva, continua lutando para se recuperar das sequelas graves que sofreu após passar por mais uma cirurgia no cérebro, para a retirada de um tumor – em julho do ano passado.

A primeira cirurgia foi 2019, quando retirou um primeiro tumor, em 2020 fez quimioterapia e radioterapia para outro, e em 2021 teve que passar por nova intervenção, de recuperação muito difícil.

Sua família precisa de ajuda urgente para conseguir pagar as sessões de fisioterapia especial que ela faz para recuperar os movimentos, além de alguns medicamentos que o SUS não cobre, alimentação e outros gastos importantes.

O PIX do Paulo Roberto para doações é: (CPF) 445 677 580 72 – Banco Santander (033), ou depósito/transferência para o mesmo banco (033), Agência 1454 –  conta corrente 01022437-1, no nome de Paulo Roberto Vieira da Silva, CPF 445 677 580-72.

Quando a Maria Luiza fez a cirurgia, em 2021, publicamos um pedido de ajuda para o tratamento, que precisa continuar.

Ela não conseguia permanecer sentada sem ajuda, porque não tinha firmeza no corpo e nem equilíbrio para andar, mas a evolução vem acontecendo aos poucos e já consegue sentar sozinha.

Na última segunda-feira, ela precisou ser internada no Hospital Santo Antônio da Criança, com convulsão, mas já está melhor, diz o pai, com quadro estável, e possivelmente terá alta em breve.

Devido a todos os cuidados que necessita, a mãe dela, Núbia, teve que deixar o emprego para tomar conta da filha e apenas Paulo, vigilante da GPS, continua trabalhando para manter a família. Eles têm mais quatro filhos, todos adultos, ela é a caçula. 

Da vez anterior, receberam doações de colegas, mas os gastos continuam e necessitam bastante do nosso apoio, novamente.

Vamos colaborar com o tratamento da Maria Luiza, qualquer valor é bem-vindo. Muito obrigado!

VEJA O QUE MUDA PARA TRABALHADOR COM NOVAS REGRAS DOS VALES REFEIÇÃO E ALIMENTAÇÃO

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil



Aprovada pelo Congresso Nacional, em 3 de agosto deste ano, a Medida Provisória (MP) nº 1108/22, do governo de Jair Bolsonaro (PL), muda as regras do teletrabalho e do uso do vale-refeição e do vale-alimentação.

Falta ele sancionar (assinar) para virar lei, mas é possível que vete alguns pontos que foram modificados no Congresso.

Sobre as novas regras do uso dos vales, a principal alteração é a que limita o seu uso somente para compras de alimentos ou refeições. Bebidas alcóolicas e cigarros, por exemplo, estão proibidos.

A multa para as empresas que descumprirem as regras vão de R$ 5 mil a R$ 50 mil. Em caso de reincidência o valor será dobrado.

Valor em dinheiro

Pelas novas regras, o trabalhador que não utilizar o saldo do seu vale em até 60 dias pode resgatar o valor em dinheiro

No Senado, o relator da MP, Flávio Bolsonaro (PL-RJ), sinalizou que o presidente pode vetar esse ponto, que foi alterado pelo Congresso Nacional e não constava na MP do governo.

Outro ponto que Bolsonaro poderá vetar é a portabilidade da bandeira do cartão.

Veja o que muda para os trabalhadores

– Portabilidade: torna-se possível a troca de bandeira do cartão

– Saque: trabalhadores poderão sacar em dinheiro o saldo que não for gasto em alimentação, após 60 dias.

– Compras: vales podem ser utilizados exclusivamente para compra de refeições e alimentos

– Interoperabilidade: o nome é complicado, mas o significado é simples:  todos os cartões – de qualquer bandeira – deverão ser aceitos pelos estabelecimentos ainda que não tenham convênios com determinadas bandeiras.

Ou seja, uma vez que o estabelecimento aceite este tipo de pagamento, deverá aceitar todas as bandeiras.

Essa novidade vale a partir de 1° de maio de 2023, prazo dado para que as empresas se adaptem.

O que muda para as empresas

– Operadoras de cartão não poderão mais negociar descontos com empresas quando da contratação do convênio para aceitar os vales.

Hoje, esses descontos são compensados em uma taxa de manutenção mais alta aos estabelecimentos que são repassadas ao consumidor.

– Não será mais permitido que fornecedoras (administradoras dos cartões) antecipem repasse ou adiantem a o benefício para os trabalhadores.

Essas medidas entram em vigor somente após 14 meses da publicação da lei e não valem para contratos atuais.

Diferença entre vale-refeição e vale-alimentação

Enquanto o vale-refeição só pode ser utilizado em restaurantes e lanchonetes, o vale-alimentação é destinado a compras em supermercados.

É ilegal usar os vales refeição e alimentação para complementar renda

Muitos trabalhadores de renda baixa acabam negociando esses benefícios para compor o orçamento doméstico – pagar contas essenciais, por exemplo – mas, de acordo com a lei, essa prática é ilegal.

Trabalhador pode ser demitido por justa causa e ser preso

Usar os vales para comprar outras coisas que não sejam alimentos ou para pagar boletos, pode ocasionar demissão por justa causa, conforme o artigo 482 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Além disso, como o artigo 171 do Código Penal trata a prática como crime de estelionato. O trabalhador pode ser condenado a cumprir de um a cinco anos de reclusão, além de pagar multa. Quem compra o VR também é punido.

A Medida Provisória (MP)

A Medida Provisória nº 1108/22, que se tornou Projeto de Lei de Conversão após a aprovação pelo Congresso Nacional, deve ser sancionada por  Bolsonaro até o dia 2 de setembro. Ele pode vetar ou sancionar itens da MP.

Além do uso dos vales, a MP também define regras para o trabalho híbrido, ou seja, em casa e presencial, sem redução de salário.

Leia mais

Novas regras para o teletrabalho podem estender jornada, sem pagamento de hora extra

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Fonte: CUT Brasil

PROCESSO DA SUL SPECIAL: VIGILANTES DA LISTA DEVEM COMPARECER NO SINDICATO

aviso (1)



Os vigilantes da lista abaixo devem comparecer no plantão da assessoria jurídica do sindicato, a partir da próxima segunda-feira (05), para tratar de assunto URGENTE referente ao processo da empresa Sul Special.  O advogado, Maurício Vieira, atende no plantão às segundas, terças e quartas-feiras, das 10h às 14h.

– Alexsandro de Oliveira
– Arthur Antônio Woljtkielewizz
– Carla Vanessa Vieira
– Charles de Oliveira
– Daiana Glusczak
– Edson dos Santos Ramos
– Francisco da Silva Portal
– Gabriel Fernandes da Silva
– Jeferson Luis da Silva
– José Anápio Lima Paixão
– Marcelo da Costa Nunes

A sede do Sindivigilantes do Sul está localizada na Rua Voluntários da Pátria, 595, salas 501/502, 5º andar, Centro Histórico de Porto Alegre. Telefones: (51) 3224-4545 ou 3225-5070.

Para saber de outros processos, ligar para o escritório Young, Dias, Lauxen & Lima (51-3085-5507) ou mandar mensagem de Whatsapp, com nome completo e CPF, para: (51) 9-9957-8256.

VEJA A LISTA DE VIGILANTES COM VALORES A RECEBER DO PROCESSO DA PORTAL SUL

Salário - dinheiro - carteira do trabalho site



A assessoria jurídica do Sindivigilantes do Sul informa que há 122 vigilantes com valores liberados para receber de uma ação coletiva que o sindicato moveu contra a empresa Portal Sul.

Conforme a assessoria jurídica, somente os trabalhadores (as) que estiverem na lista devem entrar em contato urgente com o escritório Young, Dias, Lauxen & Lima Advogados Associados para passar seus dados bancários a fim de receber o que têm direito.

Os dados a serem passados são:
– nome completo,
– CPF,
– RG,
– banco, agência, conta corrente ou poupança (devendo indicar qual tipo de conta e número da operação),
– cópia de um documento com foto.

Enviar tudo para o e-mail young@young.adv.br ou mandar pelo whatsapp 51-9957-8256, aos cuidados do setor financeiro, devendo indicar na mensagem “pagamento Portal Sul”.

Atenção:

A conta para depósito tem que ser no nome do titular, não será aceita conta em nome de terceiros.

Parabéns aos vigilantes contemplados e à assessoria jurídica do sindicato por mais esta importante conquista em favor da categoria.

Veja a lista:

Processo: 0020780-15.2016.5.04.0017
SINDIVILANTES DO SUL x PORTAL SUL

1 ACIONE CORREIA DE FREITAS
2 ADANILO MOREIRA MOLINA
3 ADRIANA MENEGHETTI
4 ALCIDES ELOI LEAL VIEIRA
5 ALDREI WEISS FONTOURA
6 ALESSANDRO SEIXAS CHAGAS DE ALMEIDA
7 ALEXANDRE CRISTOVÃO ABEGG DA SILVA
8 ALEXANDRE MOLLER
9 ALEXSANDRO RODRIGUES VACARI
10 AMARILDO SOARES DE SOUZA
11 ANDERSON JOEL DA SILVA QUADRADO
12 ANDERSON SILVA DA COSTA
13 ANDRE DUARTE CARDOSO
14 ANDREIA CARDOSO DOS SANTOS
15 ANDREZA MACHADO FERREIRA
16 ANTONIO FERNANDES FURQUIM
17 BELONI KORTZ
18 CARLOS EDUARDO CAETANO
19 CAROEL ANDRESSA SANTOS DE ANDRADE
20 CHRISTIAN SIQUEIRA
21 CLAUDIOMAR SILVA DE ANDRADES
22 CRISTIANO ALVES DOS SANTOS
23 CRISTIANO JOAQUIM DA SILVA
24 DAIANE MURILLO
25 DALTON FERNANDO FREITAS
26 DALTRO VIEIRA
27 DANIEL FENZKE
28 DIEGO PIZZOLATO DOS SANTOS
29 DOUGLAS COLOMBO FORMAGGIO
30 EDER DA SILVA SCHEFFER
31 EDIVANE JOSE NUNES
32 EDSON ROBERTO VEIGA TEIXEIRA
33 EDUARDO SOUZA DE BRITO
34 ELCIO DE MOURA SILVA
35 ELIANE FABIANA SOUZA DA SILVA
36 EMERSON DE SOUZA PORSCH
37 FABRICIO FERRARI LOPES
38 FABRICIO NUNES FANCO
39 FELIPE PEREIRA DO CARMO
40 FERNANDA SANTOS MARTINS
41 FERNANDO DE OLIVEIRA MARTINS
42 FLAVIO PIOVESAN
43 GEISSON BRESSAN SEVERO
44 GELCIR ANTONIO NICOLETI
45 GILBERTO DORNELES
46 GILBERTO ESTIVAL
47 HARRI RITTER JUNIOR
48 HENRIQUE DURGANT SILVA TESSER
49 ISAIAS MENDES DE SIQUEIRA
50 JADIR NERI MATRASZEK
51 JAIR MOISES VIEIRA
52 JAIRO RONALDO TRINDADE
53 JAYME JOSE DA SILVA NETO
54 JEAN MARCELO DOS SANTOS
55 JEFERSON MAURICIO GUIMARAES
56 JEFERSON PEREIRA
57 JOAO PERICLES ANDRIGHETTO
58 JOCEMAR EBONE
59 JONAS JARDEL HOPPEN
60 JORGE DE JESUS DE AZEVEDO
61 JOSE ELIO WITT MENDES
62 JOSE LUIZ DOS SANTOS LOPES
63 JOSE LUIZ RODRIGUES DOMINGUES
64 JOSE MARION MELO PINTO
65 JULIANO DALLA NORA
66 KARINA BONADIMAN DA SILVA
67 LADISLAU DOS SANTOS
68 LEANDRO DE ALMEIDA JUST
69 LUCAS DOS SANTOS MARX
70 LUCIAMAR VALENTIN LIMANA
71 LUCIANO ROBERTO DA SILVA
72 LUIS FABIANO MACHADO
73 LUIS FERNANDO DE PRATE
74 LUIS FERNANDO FERNANDES MEDEIROS
75 LUIZ FERNANDO DOS SANTOS
76 LUIZ FERNANDO JERONIMO
77 LUIZ LAERTE PACHECO
78 MARCELO DE LIMA RODRIGUES
79 MARCO ANTONIO CANTER
80 MARILEIA ROSA RIBEIRO CARDOSO ANTONIO
81 MARINA REGINA DOS SANTOS
82 MARISTELA DA SILVA ALVES
83 MARLI TEREZA DE OLIVEIRA
84 MAURI DA SILVA DIAS
85 MAYCO DA SILVA MOUSQUER
86 NELSON DE JESUS FIDENCIO
87 NORIVALDINO PIRES DOS SANTOS
88 PABLO GUERIM GUERRA
89 PATRICIA MOREIRA GUIMARAES
90 PAULO ANDRE SILVEIRA
91 PAULO CESAR PEREIRA DA SILVA
92 PAULO CESAR TRINDADE DE SOUZA
93 PAULO OSCAR ELSEMBACH
94 PAULO RICARDO SANTOS DE MELLO
95 PAULO ROBERTO DA LUZ FONSECA
96 PAULO ROBERTO ROSA GOULART
97 PEDRO ANTONIO DE QUEIROZ
98 PEDRO ROBERTO LACERDA
99 RAFAEL ALMEIDA DA SILVA
100 RAFAEL KRUPP
101 RAFAEL MORAES MACHADO
102 REGINA HEUSNER
103 RICARDO ANTONIO MOROZZO ANIBALE
104 RICARDO WILLIAN DA SILVEIRA
105 ROBERTO CARLOS MORAES NOTARGIACOMO
106 ROBERTO UBIRAJARA SOUZA DA COSTA
107 ROGER WILLIAN COSTA SANTANDER
108 RONALDO DE OLIVEIRA DUTRA
109 ROSEMERI MIRANDA BAEDETE
110 SANDRO MULLER BITTENCOURT
111 SENERVALDO LOPES SIMOES
112 SERGIO CANTER
113 VAGNER RIBEIRO GAIER
114 VALDEMIR DE OLIVEIRA
115 VALDIR BARCELLOS MEDEIROS
116 VALDIR GUERREIRO DA SILVA
117 VALMOS JACSON RUPPENTHAL BENDER
118 VALTER DA SILVA DOS SANTOS
119 VILMO PEDROSO RODRIGUES
120 VINICIUS MARCIANO
121 VOLNEI ZANATTA
122 WILLIAM TORRES ALVES DA SILVA

Plantões
Os plantões do advogado trabalhista são às segundas, terças e quartas-feiras, das 10h às 14h, na sede do sindicato, à Rua Voluntários da Pátria, 595, 501/502, 5º andar.

SELTEC PROMETE REGULARIZAR TODOS OS PAGAMENTOS ATÉ O FINAL DO MÊS

Salário - dinheiro - carteira do trabalho site



Nas assembleias dos vigilantes da Seltec realizadas pelo Sindivigilantes do Sul, terça e quarta-feira, os trabalhadores que estavam presentes repetiram as reclamações de que estão ocorrendo atrasos de até 20 dias no pagamento das férias, assim como no vale-transporte, vale-alimentação e três meses de parcelas retroativas da convenção coletiva de 2022 que estão atrasadas também.

Vigilantes com mais de dez anos ou até mais de 20 anos de empresa relataram que nunca passaram por isso, pois não é comum a empresa cometer esses atrasos. Também os valores do sindicato não estão sendo repassados para a entidade.

Além da falta de pagamentos, reclamaram que a direção da Seltec não se comunica adequadamente com seus funcionários, que ficam sem saber o que realmente está acontecendo.

Eles dizem que nunca recebem da empresa a informação correta de quando vai ser depositado o que têm a receber e nem quando tudo isso poderá ser resolvido.

Promessa da direção

O presidente do Sindivigilantes, Loreni Dias, informou que está em contato com a direção da Seltec, seguidamente, mas a empresa aponta os prestadores de serviços (contratantes) como responsáveis pelas dificuldades que está passando, pois ficam vários meses sem pagar suas faturas.

“A empresa diz que está em dificuldades porque tem milhões para receber da Prefeitura e outros contratantes”, relatou Dias.

Segundo ele, a Seltec assumiu o compromisso de colocar tudo em dia até o final do mês. “Não houve atraso de salários e prometeram até o final do mês colocar em dia tudo o que ficou para trás de férias, vale- alimentação, retroativo da convenção coletiva, vale-transporte”, disse Dias.

Outros vigilantes relataram que a empresa já está regularizando os depósitos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), desde o mês passado.

Participação nas assembleias

Por fim, a direção do Sindivigilantes do Sul agradece aos 11 heroicos vigilantes, no total, que demonstraram interesse pelo que seria discutido e compareceram nas assembleias, de um total de dois mil funcionários da empresa.

O sindicato também pede desculpas aos que moram no interior ou em locais muito distantes, que ficaram interessados mas não puderam vir devido à dificuldade de deslocamento.

A direção lamenta ainda a atitude daqueles que, morando em Porto Alegre, com horário disponível, não compareceram em nenhum dos dias, mas ficam ligando para o sindicato, insistentemente, pedindo respostas para a situação e fazendo reclamações.

O Sindivigilantes está fazendo tudo que é possível, como sempre faz, mas é imprescindível o apoio e participação da categoria em situações como essa.

 

MOBRA PROMETE FAZER PAGAMENTO DOS SALÁRIOS ATRASADOS ENTRE HOJE E AMANHÃ

O presidente do sindicato, Loreni Dias, falou com o dono da empresa que prometeu colocar os salários em dia, imediatamente.



Sobre o atraso dos salários dos vigilantes da Mobra Vigilância que recebem pelo banco Itaú, o presidente do sindicato, Loreni Dias, falou por telefone na manhã de hoje (08) com o dono da empresa, Antônio Carlos, que garantiu que vai fazer o depósito dos pagamentos ainda nesta segunda-feira, mais tardar amanhã, terça-feira.

Cerca de 500 trabalhadores não receberam seus vencimentos no quinto dia útil, sexta-feira. O empresário alegou que os tomadores de serviços atrasaram os repasses para a Mobra. O sindicato segue atento, na expectativa de que a empresa regularize estes pagamentos, imediatamente, conforme o prometido.