TEMOS UM ENCONTRO MARCADO HOJE À NOITE. ESPERAMOS TODOS (AS) NA ASSEMBLEIA!

Primeira sessão foi realizada pela manhã

Primeira sessão foi realizada pela manhã



Hoje pela manhã (28), foi realizada a primeira sessão da Assembleia Geral dos vigilantes de Porto Alegre, que abre a campanha salarial de 2019. À noite, acontece a segunda sessão, com primeira chamada marcada para 19h30 e segunda chamada às 20h. O local é o mesmo, o auditório do Sindicato dos Ferroviários, na Voluntários da Pátria, nº 595, 5º andar.

Quando for encerrada a votação das propostas divulgaremos a íntegra do que foi aprovado, pois a cada assembleia podem surgir novas sugestões. Estão em discussão as cláusulas econômicas, reajuste salarial, vale-alimentação e outros itens relativos à remuneração da categoria.

Por motivo de saúde, com fortes dores no nervo ciático, o presidente Loreni Dias não pode comparecer. A assembleia foi conduzida pelos diretores Jaqueson Fernandes, secretário-geral suplente, e Gerson Farias, diretor jurídico.  Estava presente também o advogado Jorge Young, da assessoria jurídica do sindicato.

Aguardamos vocês logo mais à noite, a presença de todos é muito importante para começarmos uma forte mobilização nesta campanha salarial e avançarmos nas nossas conquistas.

ASSEMBLEIA GERAL DOS VIGILANTES EM PORTO ALEGRE É AMANHÃ, 4ª FEIRA (28)

assembleia GERAL você não pode faltar



Depois das assembleias no interior do Estado, é amanhã, quarta-feira (28), a assembleia geral da categoria na capital para decidir os rumos da campanha salarial deste ano. Estará em pauta a discussão da proposta que será entregue pelo sindicato ao s patrões. Serão negociadas apenas as cláusulas econômicas, dessa vez.

Local: Sindicato dos Ferroviários.
Rua: Voluntarios da Pátria, 595/505 – Centro.

Horário:
1ª Sessão: primeira chamada às 08h e a segunda às 08h30.

2ª Sessão: primeira chamada às 19h30 e a segunda às 20h.

Chegou a hora da mobilização, participe.  NOSSA UNIÃO É NOSSA FORÇA!

NOTA DE ESCLARECIMENTO – PROJETO QUE AUMENTA CALIBRE DE ARMAS PARA VIGILANTES EM SERVIÇO AINDA NÃO FOI APROVADO NO SENADO

Depois do Senado, projeto ainda terá que tramitar na Câmara Federal

Depois do Senado, projeto ainda terá que tramitar na Câmara Federal



Ao contrário do que está sendo divulgado num vídeo, por facebook e whatsapp, o projeto que autoriza o uso pelos vigilantes das pistolas .40 nos postos de trabalho e o fuzil 556 no transporte de valores ainda não foi aprovado no Senado. Não se trata do porte de arma, mas do uso destes armamentos em serviço.

Na verdade, o PLS 016/2017, de autoria do senador Waldemir Moka (MS), ainda não foi aprovado nem na Comissão de constituição e Justiça (CCJ) e não tem data para ser votado. E precisará passar pela Câmara dos Deputados, posteriormente.

Para confirmar a situação do projeto, nossa assessoria de imprensa telefonou para o gabinete do senador e conferimos também no site do Senado (veja no link). Embora tenha parecer favorável do relator, ainda não foi votado.

Trata-se de uma decisão terminativa, o que quer dizer que ele pode ser aprovado passando apenas pela CCJ, sem precisar da votação em plenário pelo conjunto dos senadores.

No entanto, se outra comissão solicitar, terá que ser examinada pela comissão solicitante. E se, pelo menos, nove senadores pedirem a votação em plenário, ela deverá acontecer também.

Além disso, após de passar pelo Senado, o projeto segue para a Câmara dos Deputados, onde vai tramitar pelas comissões, para depois ser votado em plenário pelos deputados. Mas caso aconteça qualquer mudança no PL pelos deputados, ele terá que voltar ao Senado para ser analisado de novo.

Portanto, estão informando mal a categoria. O PL ainda tem um bom caminho pela frente, antes de ser considerado aprovado no Congresso Nacional e ir à sanção ou veto do presidente da República. Estamos atentos e informaremos, caso haja alguma novidade importante sobre isso.

Loreni Dias – Presidente
Sindivigilantes do Sul

COM FISCALIZAÇÃO DO SINDICATO, SELTEC REGULARIZA EPIs NA CEASA

Adão e Motta na Ceasa site



O vice-presidente do Sindivigilantes do Sul, Luis Paulo Motta, e o diretor Adão Ferreira da Silva retornaram à Ceasa, nesta segunda-feira (19), onde constataram que a Seltec regularizou e colocou em dia os Equipamentos de Proteção Individual dos Vigilantes, inclusive os balísticos e capas de coletes, além da munição.

Atendendo a uma denúncia anônima, os diretores do sindicato visitaram o local, pela primeira vez, dia 16 de outubro, para fiscalização, confirmando que os vigilantes estavam trabalhando com os coletes e a munição vencidos e os revólveres sem manutenção.

Depois disso, semana passada, a empresa encaminhou ofício ao sindicato informando que tinha providenciado a substituição de 12 pares de blacas balísticas do posto da Ceasa.

Nesta segunda vez, Motta e Adão (foto) verificaram que agora está tudo em dia com os EPIs, mas ressaltaram que continua a queixa dos vigilantes quanto à escala 4×1, que o sindicato considera irregular porque não consta na Convenção Coletiva de Trabalho.

O Departamento Jurídico já está encarregado de tomar as providências legais sobre isso, abrindo processo, se for preciso, como ocorreu em outros postos onde a empresa tem a mesma prática.

VEJA O CALENDÁRIO DAS ASSEMBLEIAS QUE ABREM A CAMPANHA SALARIAL DESTE ANO

Assembleia ilustrativo 1



As assembleias começam amanhã, em Três Passos. A de Porto Alegre acontece na próxima semana, dia 28, quarta-feira.

– Três Passos/RS – dia 20/11 (terça-feira). Local: Sindicato dos Bancários, Rua: Gaspar Silveira Martins, 713 Bairro: Santa Inês – Três Passos/RS. Horário: primeira chamada às 19h30 e segunda chamada às 20h.

– São Luiz Gonzaga/RS – dia 21/11 (quarta-feira). Local: Sindicato dos Bancários, Rua: Bento Soeiro de Souza, 2780 Bairro: Centro – São Luiz Gonzaga/RS. Horário: primeira chamada às 19h30 e segunda chamada às 20h.

– Camaquã/RS – dia 23/11 (sexta-feira). Local: Sindicato do Comércio, Rua Cristovão Gomes de Andrade, 791– Bairro: Centro – Camaquã/RS. Horário: primeira chamada às 19h30 e segunda chamada às 20h.

– Mostardas/RS – 26/11 (segunda-feira). Local: Câmara Municipal de Vereadores de Mostardas, Rua: XV de Novembro, 648 Bairro: Calçadão Chico Pedro – Mostardas/RS. Horário: primeira chamada às 19h30 e segunda chamada às 20h.

– São Jerônimo/RS – 27/11 (terça-feira). Local: Câmara Municipal de Vereadores de São Jerônimo/RS, Rua: Osvaldo Aranha, 175 Bairro: Centro – São Jerônimo/RS. Horário: primeira chamada às 19h30min e segunda chamada às 20h.

– Porto Alegre/RS – 28/11 (quarta-feira). Local: Sindicato dos Ferroviários, Rua: Voluntarios da Pátria, 595 sala 505 Bairro: Centro -Porto Alegre/RS.

Horários:

Primeira sessão: primeira chamada, às o8h e a segunda chamada às 08h30mim.

Segunda sessão: primeira chamada às 19h30 e a segunda chamada às 20h.

– Veranópolis/RS – 04/12 (terça-feira). Local: Câmara Municipal de Vereadores de Veranópolis/RS, Rua: Dr. José Montaury 334 Bairro: Centro – Veranópolis/RS. Horário: primeira chamada às 19h30min e segunda chamada às 20h.

CHEGOU A HORA DA MOBILIZAÇÃO, TUA PRESENÇA É MUITO IMPORTANTE!

SINDICATO VENCE AÇÃO COLETIVA CONTRA LOJAS COLOMBO

Acordo coletivo



Mais uma vitória importante da nossa assessoria jurídica. Dessa vez, numa ação coletiva em nome de vigilantes orgânicos das Lojas Colombo, o Sindivigilantes do Sul cobrou, e a Justiça do Trabalho deu ganho de causa, diferenças do piso salarial e de reajustes, que a empresa não vinha pagando corretamente, além de multa e indenização por dano moral.

O sindicato argumentou que a Colombo contratou vigilantes orgânicos na escala 12 x 36 que deveriam receber R$ 1.597,20 mensais, conforme a cláusula quarta da Convenção Coletiva de 2016/2017, mas a empresa vinha pagando valores menores, proporcionais a 190 horas.

Analisando o caso, o juiz André Ibanos Pereira, titular da 7ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, decidiu que um grupo de cinco vigilantes deve receber da Colombo as diferenças salariais entre fevereiro de 2016 e agosto de 2017, com reflexos sobre férias, 13º salários, adicional de risco de vida, adicional de periculosidade e adicional noturno.

A empresa não recorreu da sentença, do dia 31 de outubro, e o processo agora vai liquidação de sentença, para cálculos dos valores que ela deve pagar aos trabalhadores representados pelo sindicato.

CAMPANHA SALARIAL DESTE ANO COMEÇA MAIS CEDO, COM ASSEMBLEIA EM TRÊS PASSOS, TERÇA-FEIRA (20)

Reunião dos dirigentes dos sindicatos, no Sindivigilantes do Sul, segunda-feira

Reunião dos dirigentes dos sindicatos, no Sindivigilantes do Sul, segunda-feira



Em reunião na última segunda-feira (12), o Sindivigilantes do sul e os sindicatos dos vigilantes de São Leopoldo e Região e Pelotas e Região decidiram começar imediatamente a campanha salarial da categoria, com vistas à assinatura da nova convenção coletiva. As primeiras assembleias da base do Sindivigilantes do Sul acontecem já na próxima semana, começando por Três Passos, terça-feira, dia 20, segue com São Luiz Gonzaga, quarta-feira, dia 21 e prossegue com Camaquã, sexta-feira, dia 23.

Na capital, a assembleia será quarta-feira da outra semana, dia 28, conforme o edital que foi publicado nesta quarta-feira no jornal Correio do Povo. Veja a tabela completa das assembleias ao final do texto.

O objetivo é que, ainda na primeira quinzena de dezembro, aconteça a primeira reunião de negociação com a entidade patronal (Sindesp).

Cláusulas econômicas

Desta vez, serão discutidas apenas as cláusulas econômicas. Os dirigentes  que se reuniram segunda-feira decidiram levar para votação da categoria a seguinte proposta: reposição integral da inflação mais 5% de  aumento real e vale-alimentação de R$ 23,00. Logicamente, isto só será apresentado à mesa de negociação com as empresas se tiver aprovação da categoria nas assembleias.

Após uma campanha salarial extremamente difícil, neste ano, que durou seis meses até ser concluída, em junho, nada indica que agora será mais fácil. Com a reforma trabalhista, as empresas ganharam mais força e querem impor perdas inaceitáveis aos trabalhadores que os sindicatos não vão aceitar, está sendo assim com todas as categorias, mas com a mobilização dos vigilantes é possível resistir e avançar nas conquistas. A luta está começando.

Venha, participe, tua presença faz muita diferença, sim!

Calendário das Assembleias:

– Três Passos/RS – dia 20/11 (terça-feira). Local: Sindicato dos Bancários, Rua: Gaspar Silveira Martins, 713 Bairro: Santa Inês – Três Passos/RS. Horário: primeira chamada às 19h30 e segunda chamada às 20h.

– São Luiz Gonzaga/RS – dia 21/11 (quarta-feira). Local: Sindicato dos Bancários, Rua: Bento Soeiro de Souza, 2780 Bairro: Centro – São Luiz Gonzaga/RS. Horário: primeira chamada às 19h30 e segunda chamada às 20h.

Camaquã/RS – dia 23/11 (sexta-feira). Local: Sindicato do Comércio, Rua Cristovão Gomes de Andrade, 791– Bairro: Centro – Camaquã/RS. Horário: primeira chamada às 19h30 e segunda chamada às 20h.

– Mostardas/RS – 26/11 (segunda-feira). Local: Câmara Municipal de Vereadores de Mostardas, Rua: XV de Novembro, 648 Bairro: Calçadão Chico Pedro – Mostardas/RS. Horário: primeira chamada às 19h30 e segunda chamada às 20h.

– São Jerônimo/RS – 27/11 (terça-feira). Local: Câmara Municipal de Vereadores de São Jerônimo/RS, Rua: Osvaldo Aranha, 175 Bairro: Centro – São Jerônimo/RS. Horário: primeira chamada às 19h30min e segunda chamada às 20h.

Porto Alegre/RS – 28/11 (quarta-feira). Local: Sindicato dos Ferroviários, Rua: Voluntarios da Pátria, 595 sala 505 Bairro: Centro -Porto Alegre/RS.

Horários:

Primeira sessão: primeira chamada, às o8h e a segunda chamada às 08h30mim.

Segunda sessão: primeira chamada às 19h30 e a segunda chamada às 20h.

Veranópolis/RS – 04/12 (terça-feira). Local: Câmara Municipal de Vereadores de Veranópolis/RS, Rua: Dr. José Montaury 334 Bairro: Centro – Veranópolis/RS.

SINDICATO REIVINDICA O FIM DA 4 X 1 DOS VIGILANTES DA SELTEC NO HOSPITAL DE CLÍNICAS

Presidente e assessor jurídico reforçaram que escala é ilegal

Presidente e assessor jurídico reforçaram que escala é ilegal



O presidente do Sindivigilantes do Sul, Loreni Dias, esteve reunido na manhã desta terça-feira (13) com representantes do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, para tratar da jornada 4 x 1 dos vigilantes da Seltec, que presta o serviço de segurança privada para a instituição. O sindicato quer o fim dessa jornada e a adoção da 12 x 36.

Acompanhado do advogado Maurício Vieira da Silva, Dias foi informado que a direção do hospital já ouviu a empresa, em outra reunião, vai tomar uma decisão sobre isso e comunicar o sindicato, nos próximos dias.

Dias_Maurício_Hospital de Clínicas (6) site

Dia 24 de outubro, o presidente encaminhou ofício notificando o hospital que a Seltec está exigindo dos vigilantes “jornadas compensatórias não previstas na Convenção Coletiva, denominadas 4 x 1, o que é, no entender do sindicato, ilegal”.

A chefe do serviço de Direito Administrativo, Licitações, Contratos e Convênios do hospital, advogada Tania Ribeiro Proença, informou que a Seltec tem dois contratos com o HCPA: um que termina em dezembro e o outro termina em março, e estão preparando uma nova licitação. Até isso acontecer, o atual contrato pode ser prorrogado. Segundo Dias, o sindicato é favorável à prorrogação, desde que o problema da escala seja resolvido.

Tânia afirmou também que não tinha conhecimento das reclamações dos vigilantes quanto à escala e ficou surpresa com a notificação do sindicato. Segundo ela, esta situação “preocupa muito” porque os vigilantes trabalham com um público externo e interno muito grande e o hospital “precisa de uma equipe satisfeita prestando o serviço”.

Também estava presentes a gestora do contrato, Denise Severo,  a advogada Tatiana Seefelds, responsável pelas licitações, e o chefe de Logística e Segurança, Ademir Rama.

Dias e Maurício reforçaram que a escala não está prevista em convenção coletiva, acrescentando que o sindicato já teve, inclusive, ganho de causa contra a Seltec em ações judiciais pela mesma razão, contra a 4 x 1. Foi o que aconteceu, por exemplo, em relação aos postos da Caixa Econômica Federal, Trensurb, Lojas Claro e Secretaria Estadual da Saúde, casos onde a Justiça do Trabalho determinou a volta da escala 12 x 36.

Ao final, ficou combinado que o hospital vai analisar a questão, em breve, e decidir o que vai fazer, se vai deixar tudo como está ou solicitar a mudança de escala à empresa, e avisará o sindicato. O presidente e o assessor jurídico se colocaram à disposição para uma nova conversa, se for o caso, visando uma solução de comum acordo.

SINDICATO COMEÇA A FAZER A CARTEIRA DE VIGILANTE EM PVC SEGUNDA-FEIRA (12)

É mais uma conquista do sindicato para a categoria, disse o presidente Dias

É mais uma conquista do sindicato para a categoria, disse o presidente Dias



Após muitas idas e vindas para conseguir a autorização da Polícia Federal e solucionar as questões técnicas, o sindicato começa a fazer a substituição da Carteira Nacional de Vigilante (CNV) de papel pela carteira em PVC, dia 12 de novembro, segunda-feira.

“É mais uma conquista do Sindivigilantes do Sul para a categoria, finalmente os vigilantes terão um documento de identificação profissional moderno, de qualidade, como todos merecem”, disse o presidente do Sindicato, Loreni Dias.

Como fazer

– Poderão solicitar a nova carteira no sindicato os sócios e cotistas, ou seja, quem contribui para o sindicato com a mensalidade e a cota de solidariedade sindical (quem não fez oposição).

– São dois modelos de carteira: um para quem fez o registro de vigilante na PF até fevereiro deste ano e o outro para quem fez o registro depois de março/2018.

– Para fazer o documento, o vigilante precisa se apresentar no sindicato com seu CPF e carteira original (em papel) para a funcionária ingressar, via internet, no sistema da Polícia Federal em Brasília.

– Vale esclarecer que a Delegacia de Controle de Segurança Privada (Delesp/PF) não faz a CNV em PVC, está mentindo quem diz isso.

Critérios e condições

– Sócios: Gratuita.

– Novos sócios (associados a partir de 12/11): Gratuita, após seis meses de associado.

– Cotistas: R$ 50,00 à vista e apresentar os três últimos contracheques com o desconto da cota de solidariedade sindical.

– Vigilantes do interior: Valem os mesmos critérios acima. Entrar em contato com o sindicato para fazer a solicitação.

– Nova carteira, em caso de perda ou roubo: R$ 30,00 mediante BO.

– Não será feita carteira para quem não contribui com nada para o sindicato (não é sócio e nem cotista).

Custo alto

A carteira tem um custo alto para o sindicato, porque o material, PVC e tinta, é importado. Também é preciso pagar pelo programa que faz a carteira e pela assistência técnica de uma empresa, que é responsável pela manutenção do sistema.

Ela é feita na hora, mas é preciso um pouco de paciência, porque o sistema só pode ser implementado em um único computador e o procedimento demora um pouco.

Desde o ano passado, o sindicato busca essa autorização junto à PF no Rio Grande do Sul. O assunto foi repassado daqui para Brasília. Somente após muitos contatos a expedição do documento foi permitida.

Também deu bastante trabalho conseguir adequar o sistema informatizado do sindicato ao sistema de registros da PF.

IMPORTANTE:

O sindicato NÃO PODE incluir e nem alterar nenhum dado, nenhuma informação do vigilante no sistema pode ser modificada. Também não podemos incluir e nem trocar a foto. Tudo é impresso tal como está nos registros da Polícia Federal.

Caso haja algum problema, como a falta da fotografia, a carteira não poderá ser impressa.

Conforme orientação da PF, não há nada que o sindicato possa fazer. Qualquer correção deverá ser encaminhada pela empresa do vigilante, junto à PF.

Quem estiver em época de reciclagem não poderá fazer a CNV substituta até a reciclagem ser concluída.

É normal que de início ocorram imprevistos e talvez sejam necessários ainda alguns ajustes. Mas o importante é que finalmente a categoria tem ao se alcance a tão sonhada carteira em PVC.

Parabéns, vigilantes, vocês merecem esse reconhecimento!

MAIS INFORMAÇÕES COM AS FUNCIONÁRIAS DÉBORA E MARÍLIA, NA RECEPÇÃO DO SINDICATO (Telefones: 3224-4545 ou 3225-5070. Ramais: 36, 37 e 38).