COMPARECER URGENTE NO SINDICATO

Atenção 1



Os vigilantes abaixo precisam comparecer URGENTE no Sindivigilantes do Sul e procurar o Departamento Jurídico para tratar de assunto do seu interesse, relacionado ao posto da CTTE na Tegma Logística de Gravataí. Ano passado, o sindicato moveu ação coletiva pedindo o bloqueio das faturas da empresa, visando o pagamento dos salários atrasados, vale-alimentação e vale-transporte, além da liberação do Fundo de Garantia e encaminhamento para o seguro desemprego, uma vez que os trabalhadores foram dispensados pela empresa. Os demais vigilantes beneficiados já compareceram e receberam o que tinham direito.

* Elizandro Moralles Saraiva

* Elizete Reus Lopes

* Emerson San Martin Gonçalves

* José Francisco Mattos da Silva

* Luis Ricardo Santos Monteiro

* Marcelo Tavares da Silva

* Sandro Dias dos Santos

SELTEC RECEBE NOTIFICAÇÃO POR NÃO REPASSAR MENSALIDADES, CONVÊNIOS E COTAS AO SINDICATO

Covnenção Coletiva de Trabalho



A Seltec Vigilância Especializada recebeu, nesta quarta-feira (30) uma notificação do Sindivigilantes do Sul por descumprimento da convenção coletiva de trabalho. Desde agosto passado a empresa não está repassando ao sindicato o dinheiro das mensalidades de sócios, cotas de solidariedade sindical e pagamento dos convênios.

Em função disso, o Sindivigilantes foi obrigado a suspender todos os convênios dos vigilantes da empresa associados ao sindicato. Todos estes valores são descontados dos trabalhadores mas não chegam ao sindicato.

No ofício, o Sindivigilantes do Sul alerta que isto caracteriza descumprimento da CCT, que prevê tais repasses nas cláusulas 17ª, 86ª e 87ª. Inclusive, um dos sócios da empresa participou da negociação da convenção em vigor.

Portanto, a empresa está sujeita a multas, além de vir a ser processada judicialmente pelo Sindivigilantes do Sul, caso não regularize logo tal situação.

“Tem se observado uma verdadeira conduta antissindical por parte da oficiada (Seltec) que se utiliza de meios a inviabilizar os repasses das contribuições previstas em Convenção Coletiva de Trabalho como meio a causar dificuldades ao sindicato-oficiante em meses que antecedem a data base da categoria, fato que será levado a conhecimento do Ministério Público do Trabalho”, diz o ofício do sindicato.

O mesmo procedimento está sendo adotado para as demais empresas que estão cometendo a mesma ilegalidade. É mais uma tentativa dos empresários de boicotar e fragilizar o sindicato, diante de uma nova negociação salarial, com data-base em 1º de fevereiro.

Estão perdendo tempo, não vão nos intimidar com isso. Vamos nos manter firmes na luta, haja o que houver, pelos direitos dos vigilantes. Contamos com o apoio da categoria para enfrentar este e outros desafios. Juntos, venceremos!

NOTA OFICIAL – PRESIDENTE DIAS

Presidente do Sindivigilantes do Sul, Loreni Dias

Presidente do Sindivigilantes do Sul, Loreni Dias



O Sindivigilantes do Sul vem a público esclarecer, diante de boatos e algumas insinuações que circulam na categoria, que o presidente Loreni Dias não é foragido, até porque tampouco recebeu alguma intimação de oficial de Justiça ou autoridade policial, tanto que segue conduzindo a sua vida com normalidade, até porque é ciente de sua plena inocência.

De fato, o presidente responde a um processo envolvendo uma questão da sua vida privada, de caráter pessoal, que nenhuma relação tem com o sindicato ou com o seu mandato de presidente da entidade. A defesa do presidente está atuando e, de forma firme, combatendo todas as inverdades lançadas no processo.

Na verdade, foi montada uma armadilha por pessoas ressentidas com ele, por adversários políticos, devido a interesses contrariados e, tão logo seja restabelecida a verdade, muitos responderão civil e criminalmente pelos seus atos irresponsáveis.

O presidente Dias está bem assessorado, conta com o apoio de muitos membros da categoria e, isso deve ficar claro, no Sindivigilantes do Sul a vida segue normal! Tudo segue funcionando conforme se espera e em nada está sendo afetado o atendimento à categoria.

A campanha salarial também não está sendo prejudicada por isso. A primeira reunião de negociação só não aconteceu ainda porque os empresários estão resistindo em se reunir conosco, preferindo contatos telefônicos, mas a direção está, através de sua assessoria jurídica, buscando realizar uma reunião para os próximos dias. Fiquem tranquilos, os interesses da categoria estão muito bem resguardados e, nunca é bom esquecer, a data-base da categoria ainda não chegou, o que ocorrerá dia 1º-02-2019.

A verdade virá e vencerá, como sempre!

A DIREÇÃO – 28/01/2018
Sindivigilantes do Sul

JUSTIÇA ATENDE PEDIDO DO SINDICATO E BLOQUEIA FATURAS DA CTTE/BORRACHAS VIPAL

Plantão Jurídico 1 site



Atendendo a pedido do Sindivigilantes do Sul, em ação coletiva da assessoria jurídica, a juíza Jaqueline Maria Menta, da Justiça do Trabalho de Nova Prata, determinou o bloqueio de todos os créditos que a CTTE Segurança Privada tenha a receber das Borrachas Vipal S.A., no valor de R$ 523.169,53.

A juíza observa no despacho com a data de quarta-feira (23) que a Vipal rescindiu contrato com a CTTE, em virtude do descumprimento da legislação trabalhista, conforme indica a ação do sindicato. O valor bloqueado servirá para assegurar o pagamento dos direitos dos trabalhadores.

No documento, a juíza diz que vai aguardar a lista com a relação dos vigilantes que trabalhavam na empresa e que têm dinheiro a receber. Voltaremos a informar quando houver novidade em relação à liberação dos valores.

Leia também: Justiça libera dinheiro de ação coletiva para vigilantes da CTTE/Tegma. http://www.sindivigilantesdosul.org.br/vitoria-justica-lib…/

VITÓRIA! JUSTIÇA LIBERA DINHEIRO DE AÇÃO COLETIVA PARA VIGILANTES DA CTTE/TEGMA

Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT4)

Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT4)



Mais uma vitória importante do Sindivigilantes do Sul para a categoria, através da assessoria jurídica. A Justiça do Trabalho acabou de liberar o dinheiro para pagamento dos vigilantes da CTTE, posto da Tegma Logística de Gravataí, que foi bloqueado numa ação coletiva do sindicato.

Todos os (as) da lista ao final podem comparecer a partir de amanhã (6ª f.) no Departamento Jurídico do sindicato para receber.

A ação foi movida ano passado, visando o pagamento dos salários atrasados, vale-alimentação e vale-transporte, além da liberação do Fundo de Garantia e encaminhamento para o seguro desemprego, uma vez que os trabalhadores foram dispensados pela empresa.

Em outubro, atendendo ao requerimento do sindicato, foi determinado pela Justiça o bloqueio dos valores que seriam repassados à CTTE, como forma de garantir os direitos dos trabalhadores. Agora, o dinheiro já está disponível para que cada um receba o que é seu.

Houve alguma demora porque o Sindivigilantes pediu a liberação individualizada para os trabalhadores. Mas o juiz liberou o alvará em nome do sindicato, que precisou providenciar todos os trâmites e cálculos necessários, o que também gerou custos para a entidade. O sindicato entende que esse ônus deveria ser da empresa.

Faz poucos dias, foram pagos também os vigilantes da Seltec e Dielo que tinham valores a receber de outras ações coletivas. É bom que os vigilantes vejam isso e percebam que, apesar das calúnias de alguns, são muitas as conquistas do sindicato para a categoria.

SINDIVIGILANTES DO SUL, MUITO TRABALHO E MUITA LUTA PELA CATEGORIA.

  1. Angela Raquel Borges
  2. Cedenilson Teixeira da Silva
  3. Charles Dias de Souza
  4. Claudiomar Mattos Machado
  5. Claudio Jose Claro dos Santos
  6. Claudiomiro Gonçalves dos Santos
  7. Daniela Dillmann Ribeiro
  8. Darlan Roberto de Souza Alves
  9. Edilson Roberto Reisdorfer de Castro
  10. Elizandro Moralles Saraiva
  11. Elizete Reus Lopes
  12. Emerson Luis Portal
  13. Emerson San Martin Gonçalves
  14. Jaqueline da Roza Garcia
  15. Gerson Machado
  16. Jessica dos Santos Carrazzoni Chaves
  17. Jean Adriano Moura Gonçalves
  18. Joao Gomes de Andrade Neto
  19. Joao Otavio Viegas Marinho
  20. Joel de Moraes Domingues
  21. Jose Francisco Mattos da Silva
  22. Luciano Borges da Silva
  23. Luis Carlos Graff
  24. Luis Ricardo Santos Monteiro
  25. Marcelo Tavares da Silva
  26. Odimara Birkheuer da Silva
  27. Moab Silva Fischer
  28. Paulo Roberto Borges
  29. Paulo Sergio Molina Rodrigues
  30. Peter Teixeira Rodrigues
  31. Sandro Dias dos Santos
  32. Rogerio Marcos da Rosa
  33. Tamiane Gonçalves Teixeira Miranda
  34. Tiago da Costa Steimetz
  35. Vanderlei Peçanha do Amaral
  36. Vilnei Rosa da Silva
  37. William Alves Moreira

MINHA CASA MINHA VIDA TEM NOVAS OPÇÕES PARA VIGILANTES

Foto ilustrativa do programa (Agência Brasil)

Foto ilustrativa do programa (Agência Brasil)



A corretora que faz o atendimento do programa Minha Casa Minha Vida para os vigilantes no sindicato, Denise Ramires, informa que está com mais opções de imóveis para os interessados.

Além de Porto Alegre, ela agora oferece alternativas de casas e apartamentos em São Leopoldo, Novo Hamburgo, Alvorada, Guaíba, Eldorado do Sul. E, brevemente, no interior do Estado também.

Nesta quinta-feira, das 13h30 às 17h ela estará na sede do Sindivigilantes do Sul para atender aos interessados e interessadas. Quem preferir, pode ligar para (51) 984-385-817 (whatsapp).

Pelo programa do Governo Federal, para fazer a aquisição, o comprador (a) precisa ter renda familiar a partir de R$ 1.500,00 e pode usar o Fundo de Garantia. Além disso, não pode ter restrições no SPC e Serasa.

O financiamento é para imóveis a partir de R$ 128 mil e até R$ 150 mil. São casas e apartamentos de um ou dois dormitórios, prontos e na planta. Já há vigilantes que fecharam negócio e estão felizes com a casa própria.

Foto Ilustrativa (Agência Brasil)

BOMBA! SANDRO CAREY E CIA. SOFREM DERROTA ESTRONDOSA NO PROCESSO CONTRA O SINDICATO REFERENTE À COTA DE SOLIDARIEDADE SINDICAL

Justiça



O Ministério Público do Trabalho (MPT) não viu nenhum fundamento na denúncia absurda que Sandro Ricardo Carey Machado fez contra o Sindivigilantes do Sul e a cota de solidariedade sindical, decidindo nem levar o processo adiante.

O caso foi arquivado pelo Pocurador do Trabalho Noedi Rodrigues da Silva, no dia 30 de dezembro.

Ele considerou perfeitamente LEGAL a cobrança da cota, que foi aprovada em assembleia e manteve os mesmos critérios da contribuição que era cobrada antes, apenas o nome mudou.

Foi uma DUPLA DERROTA do Sandro e sua turma, pois a Juíza do Trabalho Substituta Sheila Spode também decidiu extinguir o processo. A sentença disse, entre outras coisas, que “Os autores não são legítimos para pleitear direitos de terceiros”.

Eles ainda foram CONDENADOS pela juíza da 10ª Vara do Trabalho a pagar R$ 800,00 de custas do processo.

Entenda o caso:

– Além de Sandro, fazem parte do processo contra o sindicato os senhores José César L. Foleto, Dayvdy Korpalski Ramos e Carlos Alexandre Vargas de Andrades. Eles foram integrantes da comissão escolhida para acompanhar a negociação salarial de 2018 e alegaram que o assunto da cota não foi submetido à assembleia geral e deveria ser declarada ilegal pelo judiciário.

– O sindicato, defendido pelo advogado Maurício Vieira da Silva (da Young, Dias, Lauxen & Lima Advogados Associados), apresentou provas e comprovou que, além da denúncia ser improcedente, Sandro faz oposição sistemática ao sindicato, mesmo sequer sendo sócio da entidade. Inclusive, já moveu outros processos contra o Sindivigilantes e foi derrotado na Justiça em TODAS as vezes, mas, pelo jeito, não desiste, talvez porque esteja a serviço de ….

– O sindicato também demonstrou que ele estava fazendo estardalhaço nas redes sociais com intenções políticas, apenas para se promover, pois era candidato a deputado estadual.

– Após ouvir as partes e analisar as provas, o procurador Noedi Rodrigues da Silva concluiu que o assunto da cota foi, sim, tratado e votado em assembleia. Ele também considerou que foi respeitado o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado anteriormente com o próprio MPT.

– Ele citou o Enunciado 24 da Câmara de Coordenação e Revisão do MPT que considera legítima a definição da contribuição sindical em assembleia geral, com o direito de oposição assegurado, como é o nosso caso.

– O Procurador ainda referiu no seu despacho um fato GRAVÍSSIMO, ou seja, que os membros da comissão estiveram reunidos SOZINHOS com os patrões do Sindesp, sem a presença do sindicato:

“Não é demais acrescentar, que, como demonstrado pelo sindicato denunciado, a comissão também chegou a reunir como sindicato patronal, sem a presença do sindicato profissional, no mesmo processo de negociação”, disse o procurador.

– A direção do Sindivigilantes sempre teve certeza que essa turma estava agindo em comum acordo com os patrões para atacar o sindicato.

– Assim como a juíza do Trabalho, o Procurador também decidiu que a comissão NÃO TEM LEGITIMIDADE para representar a categoria em outras questões: “Os autores não são legítimos para pleitear direitos de terceiros”, afirmou.

– “Com essas considerações, tendo em vista a convicção deste órgão de que o caso não comporta a propositura de ação civil pública, promovo…. o arquivamento desse expediente investigatório”, concluiu o procurador.

– Disse também a juíza que: “Não há notícia nos autos de que algum dos autores tenha se desfiliado do sindicato por imposição dele, por discordar do desconto da cota de solidariedade sindical. Os autores não são legítimos para pleitear direitos de terceiros.”

PORTANTO, O SANDRO FALTOU COM A VERDADE NOS SEUS ATAQUES AO SINDICATO. FEZ UMA CAMPANHA ELEITOREIRA CONTRA A COTA E NÃO TEM LEGITIMIDADE PARA REPRESENTAR A CATEGORIA.

DESCONFIE DE QUEM SE REÚNE SOZINHO COM OS PATRÕES E ATACA O SINDICATO DE FORMA TÃO VIRULENTA E SISTEMÁTICA. QUEM ESTÁ DO LADO DO TRABALHADOR É O SINDICATO, QUE LUTA E TRABALHA MUITO PELA CATEGORIA, COMO MOSTRAMOS TODOS OS DIAS.

Sindivigilantes do Sul – 18/01/2019

ASSEMBLEIA DE MOSTARDAS NÃO FOI REALIZADA PORQUE CARRO DO SINDICATO QUEBROU

Foram realizadas assembleias em Porto Alegre, na foto, e São Jerônimo

Foram realizadas assembleias em Porto Alegre, na foto, e São Jerônimo



Convocada para a noite de ontem, quinta-feira (17), a assembleia geral em Mostardas acabou não sendo realizada porque o carro do sindicato que levaria a diretoria quebrou no caminho. Infelizmente, não houve tempo de avisar a categoria. Lamentamos muito e pedimos desculpas aos colegas que compareceram por esse imprevisto.

Foram realizadas as assembleias de Porto Alegre e São Jerônimo, quarta-feira, dia 17, onde foi discutida e votada a venda do prédio do sindicato localizado na Rua Ramiro Barcelos, nº 330, na capital. Em Porto Alegre, 16 votos foram contrários e 12 a favor da venda. Em São Jerônimo  a votação foi unânime, com  40 votos a favor e nenhum contra.

Na soma dos votos dessas duas assembleias, a maioria foi favorável: 52 sim e 16 não.

Em consideração à categoria, o sindicato vai promover um novo encontro em Mostardas, em data a ser marcada, para tratar desse e de outros assuntos, com as devidas explicações.

Sindivigilantes do Sul – 18/01/2019

ATENÇÃO VIGILANTES DA JOB DO POSTO HOSPITAL SÃO PEDRO

Aviso Urgente



O Sindivigilantes do Sul solicita que os vigilantes da JOB do posto do Hospital São Pedro informem se os salários de dezembro foram pagos, se receberam o 13º salário ou apenas uma parte dele e se vale-transporte e vale-alimentação estão em dia, para a assessoria jurídica tomar as providências legais, se for o caso.

Quem quiser fazer rescisão indireta para assegurar a liberação do fundo de garantia e o encaminhamento do seguro-desemprego deve comparecer no Departamento Jurídico trazendo: Carteira de Trabalho, CPF, RG, extrato analítico do FGTS fornecido pela Caixa Econômica Federal e o contracheque.

Na sexta-feira não há atendimento jurídico, comparecer a partir de segunda-feira.

Sindivigilantes do Sul, sempre lutando e trabalhando muito pela categoria.