DIAS: “NÃO ASSINO ACORDO QUE SÓ FAVORECE AS EMPRESAS E PREJUDICA OS VIGILANTES”

Presidente do sindicato quer um acordo bom e justo para todos

Presidente do sindicato quer um acordo bom e justo para todos



O Sindivigilantes do Sul fez tudo que era possível e cumpriu todas as etapas necessárias para agilizar a negociação da Convenção Coletiva de Trabalho desse ano. As assembleias, inclusive, foram realizadas EM DEZEMBRO e a primeira reunião de negociação foi em janeiro, ANTES da data-base (1º de fevereiro).

Mas se ainda não houve acordo a culpa é dos patrões, representados pelo Sindicato das Empresas de Segurança Privada (Sindesp). Eles querem simplesmente IMPOR, na marra, um acordo do jeito deles, que SÓ FAVORECE AS EMPRESAS.

– Eles não admitem nenhum reajuste dos salários.
– Não admitem sequer pagar a reposição da inflação (4,30%).
– Tiveram o peito de propor UMA REDUÇÃO SALARIAL DE 12% durante a mediação na Justiça do Trabalho.
– Mesmo que a categoria aceite a proposta deles, não dão nenhuma garantia no emprego, ou seja, vão continuar demitindo com acordo ou sem acordo.

“Não vou assinar nenhum acordo desse jeito, que só favorece as empresas e prejudica os vigilantes”, disse o presidente do sindicato, Loreni Dias. Além disso, acrescentou, a categoria decidiu nas assembleias que só aceita uma proposta que garanta pelo menos o índice da inflação nos contracheques.

Sempre inventam alguma desculpa

Primeiro, quando nem se falava na pandemia do coronavírus, os patrões não ofereceram nada de reajuste, apenas um mísero abono como “prêmio de assiduidade”. Depois usaram a pandemia como desculpa.

Por último, armaram uma BRIGA RIDÍCULA com o Ministério Público, por causa do Jovem Aprendiz e outras questões, provocando o encerramento da mediação da Justiça do Trabalho.

Além disso, algumas empresas pressionaram a categoria com pesquisas fajutas, sem nenhum valor legal, e cortaram os repasses das mensalidades e convênios do Sindivigilantes. O sindicato já ingressou com ações na Justiça contra essas empresas.

Queremos um acordo bom e justo para todos

Dessa maneira, alerta Dias, a convenção coletiva desse ano vai acumular com a de 2021. Porém, nada vai ser assinado no próximo ano enquanto não se resolver a situação de 2020.

“Está muito claro que as empresas querem simplesmente arrochar a categoria e isso não podemos aceitar”, disse o presidente do sindicato, Loreni Dias. “Mas o sindicato continua aberto à negociação, desde que haja um acordo que seja bom e justo para todas as partes”, completou.

VIGILANTES, VAMOS PERMANECER UNIDOS E FIRMES CONTRA O ARROCHO QUE OS PATRÕES QUEREM IMPOR. JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!

SINDICATO REABRE A SUBSEDE EM TRAMANDAÍ

Tramandaí_Subsede 3_site



Os vigilantes do litoral voltaram a ter a facilidade de uma subsede do Sindivigilantes do Sul bem próxima, em Tramandaí. Ela foi reaberta há poucos dias e já está fazendo o atendimento da categoria, na Avenida Flores da cunha, 4712, no bairro Zona Nova. Também atende pelo telefone (51) 2184-0046.

Na subsede, os vigilantes podem solicitar autorizações para os convênios, encaminhar a Carteira Nacional de Vigilantes, fazer a homologação das rescisões de contrato, entre outros serviços. O presidente Loreni Dias disse que também está vendo a  possibilidade do atendimento jurídico com agendamento prévio.

A representação do sindicato na região havia sido fechada devido à grande perda de arrecadação que a entidade sofreu com o fim do imposto sindical, a partir do final de 2017. Isso obrigou a entidade a fazer diversos cortes de custos, como o fechamento de subsedes, entre outras medidas de contenção de despesas.

“Administrando os recursos com muita responsabilidade, aos poucos o sindicato está retomando algumas atividades que tinham sido temporariamente interrompidas”, disse o presidente Dias.

Veja abaixo a relação de convênios do Sindivigilantes do Sul no litoral. 

Cestas básicas – Sacola Econômica Asael ou Mesasul com desconto em folha e várias opções de preços e produtos.  

Vale-gás – Solicite o vale-gás com desconto em folha na nossa subsede.

Centro Clínico JWM – Várias especialidades na área da saúde e exames. Rua: Paul Harris 52 – Bairro: Pitangueira – Sto. Antônio da Patrulha/RS.  Fone: (51) 3662-6161. 

Cartão Wex – Mastecard –  Vigilante com um ano de empresa pode solicitar o  cartão , que possibilita parcelar compras, recargas de celular, etc.

Urgemed Serviços Médicos Ltda. – Clínico geral e traumatologista com desconto em folha pelo sindicato. Agendar consulta e solicitar autorização na subsede. Av. Atlântica, 1810, loja 03,  Tramandaí. Fone: (51) 3661-1900.

Farmácias São João – Solicite o seu Cartão Preferencial para compra de medicamentos e cosméticos com desconto em folha.. 

Laboratório Fontana – Av. Emancipação, 1463 – Tramandaí/RS. Fone: (51) 3661-3708.

Redemac Madesul (Balneário Pinhal) – Produtos de ferragem, encanamentos e material de construção. Apresentar o orçamento na subsede para compra com desconto em folha e parcelamento. Av. Itália, 3700.

Madeireira Indianópolis – Produtos de ferragem, encanamentos e material de construção. Faça o orçamento e apresente na subsede para a compra com desconto em folha e parcelamento. Rua Hildebrando Pinheiro Veloso, 170, Tramandaí. Telefone: 999-245-246.

 

 

SINDICATO AMPLIA HORÁRIO DE ATENDIMENTO DURANTE A PANDEMIA

Expediente



Ainda com restrições devido à pandemia do coronavírus, o Sindivigilantes do Sul vai ampliar, a partir de segunda-feira (05), o horário de expediente externo na sede, que passa a ser das 07h30 às 16 horas.

O atendimento da assessoria jurídica também muda e passa a ser das 10h às 16h, com intervalo do meio-dia., de segundas a quartas-feiras.

Pede-se a quem comparecer na entidade que use a máscara de proteção. O sindicato está localizado na Rua Voluntários da Pátria, Nº 595, salas 501/502. Mais informações: (51) 3224-4545 ou 3225-5070. 

ATUALIZAÇÃO DE PREÇOS E PRODUTOS DA CESTA BÁSICA MESASUL

Sacolas_Mesasul__1_-removebg-preview-site



Segue abaixo a relação de preços e produtos da cesta básica Mesasul que inclui a Sacola Especial, com alimentos, e a Limpeza Econômica, com materiais de higiene e limpeza. Faça seu pedido na Secretaria de Finanças do sindicato para ser entregue na sua residência.
Mais informações: (51) 3224-4545 ou 3225-5070.

SACOLA ESPECIAL
10 KG de arroz polido Casa Bem tipo 1
05 kg farinha trigo tipo especial PANFACIL
07 kg de açúcar refinado da BARRA
02 kg de feijão Mesaboa TIPO 1
04 Latas de Óleo de soja 900ml LEVE PET
02 pct massa espaguete Isabela 500 gr
01 pct de massa parafuso Isabela 500 gr
01 Café MELITTA 500 grs
01 Kg sal Daiana
01 extrato de tomate Bonare SACHE 340 gr
02 pct. Biscoito Bauducco Levissimo Crak 200 gr
01 pct. Farinha de milho média Siloti 1 Kg
01 pct. Biscoito MARIA Isabela 400 gr
02 gelatina cereja Bretzke 30gr
01 Doce em massa da Serra – Abobora 400 gr
02 Achocolatado Nescau 400 gr
Total: R$ 180,00

CESTA BÁSICA – LIMPEZA ECONÔMICA
 04 rolos de papel higiênico Paloma F.simples – 30mt
03 sabonetes de 90 Gr – YPE Segredo das Flores
02 barras de sabão Campeão c/glicerina de 400 Gr
02 creme dental ICE CLEAN MENTA de 90gr
01 detergente líquido Girando Sol – neutro 500ml
01 Detergente em pó 1 Kg ASSIM TRIPLAÇÃO
01 Esponja de Aço Assolan c/8
01 Desinfetante Girando Sol Pinho 500ml
01 Desinfetante AQUAFAST MULTIUSO ORIGINAL 500 ml
Total: R$ 32,00

JUSTIÇA DETERMINA QUE MD VOLTE A FAZER REPASSES AO SINDICATO E PROÍBE CONDUTAS ANTISSINDICAIS

Justiça



 Na decisão de uma ação coletiva do Sindivigilantes do Sul, a Justiça do Trabalho determinou que a MD Serviços de Segurança volte a repassar as mensalidades de sócios e os valores dos convênios ao sindicato, até o dia 10 de cada mês. O corte dos repasses foi uma represália da empresa porque o sindicato não aceitou a proposta patronal de convenção coletiva de trabalho sem reajuste dos salários, nem mesmo a reposição da inflação na data-base (4,30%).
 
O juiz substituto da 20ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, Rafael Fidelis De Barros, acolheu o pedido de tutela de urgência da assessoria jurídica do sindicato, para que a decisão seja cumprida imediatamente. A mensalidade sindical, diz ele, “é uma modalidade de receita voluntária e independe de convenção coletiva”, bastando a filiação do trabalhador à entidade.
“Os descontos em folha de pagamento, das mensalidades sindicais e convênios, daqueles empregados filiados e que tenham autorizado a dedução, devem ser comprovadas nos autos no prazo de 20 dias, sob pena de multa no valor de R$ 200,00 por empregado cuja obrigação de fazer deixar de ser cumprida”, acrescentou.
Ele também determinou que a empresa pare de praticar condutas antissindicais, “deixando de enviar comunicado/memorando ou enquete aos seus empregados referente à formalização de acordo coletivo de trabalho, medida que atenta contra a liberdade de atuação do sindicato e de seus diretores”.
 
Segundo o juiz: “Compete ao sindicato profissional, que representa os trabalhadores, fazer eventual pesquisa sobre o interesse de seus representados, posto que a empresa ré defende interesses diversos.”
 
Logo devem sair outras decisões nas ações que foram ajuizadas contra a Rudder, Seltec e Epavi, que também cortaram os repasses como retaliação ao sindicato, além do Sindesp, a entidade que representa as empresas.

JUSTIÇA DETERMINA QUE A JM ADOTE MEDIDAS DE PROTEÇÃO DOS VIGILANTES CONTRA A COVID-19

Justiça



A Justiça do Trabalho publicou a sentença do processo do sindicato contra a JM Guimarães, determinando que a empresa adote medidas de proteção dos seus trabalhadores contra a pandemia da Covid-19. Ela ainda pode recorrer, mas deve continuar cumprindo de imediato as providências deferidas na sentença.

O juiz do Trabalho Substituto Maurício Graeff Burin, da 22ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, deferiu a maioria das solicitações da ação civil coletiva movida pelo Sindivigilantes do Sul.

Ele determinou que a JM:

– Adote o trabalho remoto em relação aos empregados pertencentes ao grupo de risco (gestantes, lactantes, pessoas acima de 60 anos, diabéticos, asmáticos, pessoas com problemas cardíacos e respiratórios) ou, na impossibilidade disso, conceda o afastamento do empregado sem prejuízo da remuneração.

– Forneça aos demais trabalhadores os Equipamentos de Proteção Individual (luvas, máscaras faciais, álcool em gel 70%).

– Estabeleça um programa com orientações claras acerca das medidas preventivas a serem adotadas contra a pandemia da Covid-19.

– Garanta a higiene e arejamento adequados de todas as suas dependências, bem como do local de prestação de serviço terceirizado, com uso de água sanitária ou álcool em gel 70% nas superfícies e objetos comuns. 

– Também deve ser observada e fiscalizada a distância mínima de um metro e meio entre os trabalhadores.

Além disso, a empresa não pode exigir de seus empregados o controle de temperatura das pessoas que ingressam nas dependências do local de trabalho, ou qualquer outro tipo de medida que exponha sua saúde a risco iminente.

Caso as medidas já tenham sido adotadas, diz a sentença, elas deverão ser mantidas. Mas em caso de comprovação pelo sindicato da não adoção dessas medidas, deverá ser aplicada multa diária de R$ 1.000,00 por empregado prejudicado, no limite de até 30 dias,

O valor da multa, se acontecer, será direcionado à Secretaria Estadual da Saúde para atendimento de despesas oriundas com a pandemia. 

 

TEMOS NOVOS CONVÊNIOS EM TRAMANDAÍ

Convênios Tramandaí site



O Sindivigilantes do Sul firmou dois novos convênios para seus associados em Tramandaí, com a Madeireira Indianópolis e a clínica odontológica Odonto AI.

– A Odonto AI está localizada na Rua São Judas Tadeu, Nº 174, na Zona Nova de Tramandaí. Ela oferece consultas e tratamentos com descontos para os vigilantes sócios do sindicato e seus dependentes. Os valores podem ser parcelados em até seis vezes, com desconto em folha, sendo a parcela mínima de R$ 100,00. Telefones: (51) 3684-1224/9-8605-1224

– A Madeireira Indianópolis fica na Rua Hildebrando Pinheiro Veloso, 170, no bairro Indianópolis, e oferece seus produtos aos vigilantes sócios do sindicato com pagamentos parcelados em até seis vezes e parcelas mínimas de R$ 80,00. Telefone: (51) 9-9924-5246

Convênios e benefícios para todos (as)

O sindicato oferece mais de 100 convênios e benefícios, válidos para vigilantes sócios (as) de todo o Estado. Veja alguns deles:

– Cartão WEX Mastecard
Vigilantes sócios do sindicato e com um ano de empresa, podem solicitar o cartão para compras parceladas, recarga de celular e saques no banco 24h, dentro do limite disponível, mediante apresentação do contracheque ao setor financeiro para avaliação.

– Cartão Preferencial das Farmácias São João
Para compras de medicamentos, cosméticos, perfumes, itens de higiene e todos os demais produtos expostos nas lojas, com desconto em folha.

-Colônia de Férias na Praia do Magistério, Balneário Pinhal, para você e a família tirarem suas merecidas férias com tranquilidade e conforto.

– Carteira Nacional de Vigilante em PVC gratuita, resistente e durável.

– Assessoria Jurídica do escritório Young, Dias, Lauxen & LIma Advogados Associados, um dos mais conceituados do Rio Grande do Sul.

– Zé Pneus
Maior rede de autocenter do sul do Brasil, com 30 lojas na capital e no interior. Além da venda de rodas e pneus, presta serviços de geometria, alinhamento de rodas, suspensão, freio, bateria, troca de óleo, filtro, amortecedores, rodas, higienização do ar e palhetas.

Mais informações: (51) 3224-4545 ou 3225-5070

 

 

 

VEJA OS PRODUTOS E NOVOS PREÇOS DAS CESTAS BÁSICAS DA ASAEL

As sacolas econômicas podem ser retiradas no sindicato

As sacolas econômicas podem ser retiradas no sindicato



O Sindivigilantes do Sul tem mais de cem convênios e benefícios para os sócios do sindicato. Um deles é o das cestas básicas da Asael, que oferece seis tipos de sacolas econômicas de alimentos e mais a sacola de limpeza, com melhores preços que nos supermercados.

As compras podem ser feitas com desconto em folha e retiradas no sindicato,  Veja a relação de produtos e os novos preços abaixo. Mais informações: (51) 3224-4545 ou 3225-5070

SACOLA DE LIMPEZA
04 rolos de papel higiênico
03 sabonetes de 90 Gr
01 desinfetante 2L ou 01 Amaciante 2L
01 creme dental de 70 Gr
01 detergente líquido de 500 ml
01 Barra de Sabão Azul de 200 Gr
01 Cx de sabão em pó de 1 Kg
01 Pacote de Bom Bril
01 Alvejante
VALOR: R$ 30,00

SACOLA ECONÔMICA 1
05 kg de arroz tipo 1
05 kg farinha de trigo especial
04 kg açúcar refinado
02 kg de feijão preto
01 pct café 250 gr Diana
01 pct de bolacha sortida
01 pct de massa com ovos 500 gr
01 pct de achocolatado
01 lata de óleo de soja
01 kg de sal refinado
01 pct de polentinha
VALOR: R$ 88,00

SACOLA ECONÔMICA 2
05 kg de arroz tipo 1
03 kg de farinha de trigo especial
04 kg de açúcar refinado
02 kg de feijão preto
02 latas de óleo de soja
01 pct de massa com ovos 500 gr spaghetti
01 pct de massa com ovos 500 gr ninho
01 pct de café 250 gr
01 kg de sal refinado
01 extrato de tomate 340 gr
01 pct bolacha sortida de 500 gr
01 pct de farinha de mandioca de 500 gr
1 pct de polentina 500 gr
1 pct de achocolatado
1 pote de schmier 400 gr
1 Pct. mistura para Bolo
VALOR: R$ 106,00

SACOLA ECONÔMICA 3
10 KG de arroz tipo 1
05 kg de farinha de trigo tipo especial
05 kg de açúcar refinado
04 latas de óleo de soja
02 kg de feijão preto
01 pct de massa com ovos 500 gr ninho
01 pct de massa com ovos 500 gr spaghetti
01 Pacore de bolacha sortida
01 pct de bolacha Maria ou salgada (conforme disponível)
01 kg de sal refinado
01 extrato de tomate 340 gr
01 gelatina
01 pct de polentina
½ kg de farinha de mandioca
01 pct de café Melita 250 gr
VALOR: 145,00

SACOLA TIPO 3B
10 kg arroz tipo 1
02 kg de farinha de trigo especial
04 kg de açúcar refinado
04 latas de óleo de soja
02 kg de feijão
01 pct de massa ninho com ovos
01 pct de massa spaghetti c/ ovos
01 pct de bolacha Maria ou sortida
01 kg de sal ou pote de tempero
01 extrato de tomate de 340 gr
01 gelatina
01 pct de polentina
01 pct de café Melita 250 gr.
½ kg de farinha de mandioca
VALOR: R$  130,00

SACOLA ESPECIAL
10 kg de arroz tipo 1
05 kg farinha de trigo tipo especial
07 kg de açúcar refinado
04 latas de óleo de soja
02 kg de feijão preto
01 pct de massa com ovos ninho
01 pct de massa com ovos parafuso
01 pct de bolacha Maria
01 kg de sal refinado
01 extrato de tomate 340 gr
01 pote de schmier 400 gr
01 gelatina
02 pacotes de café Melita 250 gr.
01 pct de polentina
01 lt de ervilha
½ kg de erva mate
½ kg de farinha de mandioca
01 pct de suco
VALOR: R$ 160,00

ASSESSORIA JURÍDICA PASSA A ATENDER TAMBÉM ÀS QUINTAS-FEIRAS (DAS 10H ÀS 12H)

Plantão Jurídico



A assessoria jurídica do Sindivigilantes do Sul ampliou seus plantões para atendimento dos vigilantes em mais um dia, passando a funcionar de segunda a quinta-feira, sempre das 10 horas ao meio-dia, na nossa sede. Ela fica na Rua Voluntários da Pátria, 595, salas 501 e 502 – Galeria Santa Catarina, no Centro Histório, próximo à Estação Rodoviária e Lojas Tumelero.

Para outras informações trabalhistas, civis e previdenciárias, como o andamento de processos, fazer contato com o escritório da nossa assessoria jurídica:
Young Dias Lauxen & Lima Advogados Associados
Telefone: (51) 3590-2079
Whatsapp: (51) 9-9581-5548
Av. Getúlio Vargas, 774 – sala 301
Menino Deus, Porto Alegre – RS, 91792-470

CHICO VIGILANTE: STF DECIDIU QUE COVID-19 É ACIDENTE DE TRABALHO COM DIREITO A ESTABILIDADE NO EMPREGO POR UM ANO

Deputado Chico Vigilante

Deputado orienta que os trabalhadores devem apresentar o atestado médico e pedir a CAT



O deputado distrital Chico Vigilante (PT-DF) está alertando a categoria, por meio de um vídeo no whatsapp, que os trabalhadoras e trabalhadoras que contraíram o coronavírus, de qualquer categoria, têm direito à estabilidade no trabalho de um ano, porque é considerado acidente de trabalho, conforme uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), mês passado.

Isso foi conquistado depois que o presidente Jair Bolsonaro editou a Medida Provisória 927 que, na prática, acabava com esse direito. O artigo 19 da MP determinava que seria preciso comprovar que o trabalhador ou trabalhadora havia contraído a Covid-19 na sua atividade profissional.

Mas os partidos de oposição, federações e confederações de trabalhadores recorreram ao STF que julgou inconstitucional esse artigo da MP, restabelecendo que quem contraiu o coronavírus teve um acidente de trabalho. “Isso garante a estabilidade de no mínimo um ano de trabalho e não precisa ter ficado ‘encostado’ pela Previdência, basta ter o atestado comprovando que contraiu o coronavírus”, disse o deputado.

“Portanto é fundamental que os trabalhadores e as trabalhadoras peguem a CAT, que é a Comunicação de Acidente de Trabalho, e tenham isso em mãos para que você tenha o seu direito garantido, isso é muito importante”, ressaltou o deputado.  “Não aceite ser enganado, a empresa é obrigada a fazer a CAT, mas caso ela não faça procure o seu sindicato, para que ele faça. É fundamental buscar o seu direito para que não seja lesado”, afirmou Chico Vigilante.

Por outro lado, acrescentou, quando um trabalhador vem a falecer,  em vez de receber integralmente a pensão de um salário que o esposo ou companheiro ganhava, a viúva está recebendo apenas 50 por cento disso, devido à reforma da Previdência. Por exemplo, se um vigilante, rodoviário, comerciário, trabalhador da construção civil, ganhava 2 mil reais de salário, a viúva vai ter direito a apenas 1 mil reais, ou seja, de uma hora para outra a família perde a metade daquela renda que tinha para sobreviver.

Caso a viúva tenha filhos menores de idade, o valor recebido aumenta 10 por cento para cada um desses filhos: com um filho menor, passa para 60 por cento do salário do trabalhador falecido, dois filhos menores 70 por cento e assim por diante, até esses filhos completarem a maioridade.