CALENDÁRIO DAS ASSEMBLEIAS

Assembleia 2019



Começam sexta-feira, por Horizontina, as assembleias que vão definir a pauta de reivindicações da categoria.

Horizontina – 22 de janeiro (sexta-feira)
. Local: Associação dos Metalúrgicos de Horizontina, na RS 342, Km 20
. Horário: 19h a primeira chamada e 19h30 a segunda chamada, com qualquer    número de trabalhadores presentes

São Luiz Gonzaga – 23 de janeiro (sábado)
. Local: Rua Dr. Bento Soero de Souza, 2780, Sindicato dos Bancários
. Horário: 15h30 a primeira chamada e 16h a segunda chamada, com qualquer número de trabalhadores presentes

Porto Alegre – 25 de janeiro (segunda-feira)

. Local: Rua Voluntários da Pátria, n. 595, 5º andar, no Sindicato dos Ferroviários
. Primeira sessão: 07h30 a primeira chamada e 08h a segunda chamada, com qualquer número de trabalhadores presentes
. Segunda sessão: 19h30 a primeira chamada e às 20h a segunda chamada, com qualquer número de trabalhadores presentes

Camaquã – 26 de janeiro (terça-feira)
. Local: Rua Bento Gonçalves, 1207, Sindicato dos Bancários
. Horário: 19h a primeira chamada e 19h30 a segunda e última chamada, com qualquer número de trabalhadores presentes

Mostardas – 27 de janeiro (quarta-feira)
. Local: Rua 15 de novembro, 440, no Sindicato Rural de Mostardas
. Horário: 19h a primeira chamada e 19h30 a segunda e última chamada

Só conquista quem luta, compareça, participe!

Sindivigilantes do Sul

JUÍZA DEFERE PEDIDO DO SINDICATO E BLOQUEIA FATURAS DO CAFF DA CAMARGO

Foram bloqueados créditos até o limite de R$ 800 mil

Foram bloqueados créditos até o limite de R$ 800 mil



Foi publicada ontem (19) a primeira decisão das diversas ações coletivas que o sindicato ajuizou na Justiça do Trabalho para que sejam bloqueadas, imediatamente, as faturas e créditos dos postos da Camargo Segurança Privada Eireli, que fechou as portas semana passada.

A juíza Luciana Caringi Xavier, da 7ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, determinou, em tutela de urgência, o “arresto dos créditos” que a empresa ainda tenha a receber do Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff), até o limite de R$ 800 mil. O valor será utilizado para o pagamento das verbas rescisórias e outros créditos dos vigilantes que trabalhavam no posto.

Este valor deve ser depositado em conta judicial para ficar à disposição da Justiça, decidiu a juíza. Ela também determinou que a empresa apresente a relação de todos os vigilantes que prestaram serviço no posto e a anotação de baixa do contrato na Carteira de Trabalho de cada funcionário.

A orientação da assessoria jurídica do sindicato é que, se os vigilantes forem chamados pela Camargo, a baixa deve ser feita na hora, não deixem a carteira com a empresa.

O assessor jurídico, advogado Maurício Vieira da Silva, reforça que os vigilantes devem comparecer no sindicato com urgência, que ainda não compareceu, a fim de encaminharem as ações individuais de liberação do FGTS, seguro-desemprego e outros direitos. Trazer carteira de trabalho, RG/CPF e, se tiverem, os últimos três contracheques.

Ele atende no sindicato de segunda a quarta-feira, das 10h às 16h, na sede do sindicato, à Rua Voluntários da Pátria, 595, 5º andar, no Centro Histórico de Porto Alegre.

SINDICATO JÁ PEDIU À JUSTIÇA O BLOQUEIO DAS FATURAS DA CAMARGO



O sindicato já ingressou na Justiça do Trabalho com ações de bloqueio das faturas (créditos) da Camargo nos postos. As ações da assessoria jurídica foram direcionadas para cada posto a fim de garantir que suas faturas sirvam para o pagamento dos vigilantes que trabalharam neles. Estamos aguardando as decisões dos juízes.

Havendo, ainda, faturas que não tenham sido repassadas à Camargo e havendo deferimento do bloqueio pelo juiz, o sindicato está solicitando ao juiz a imediata liberação dos valores para fazer o pagamento dos trabalhadores. Tão logo isso aconteça, a informação será divulgada nas redes sociais do sindicato.

Os trabalhadores devem comparecer no sindicato para ajuizar ações individuais para conseguir a baixa na carteira de trabalho, liberação do fundo de garantia, seguro desemprego, bem como para incluírem na ação os pagamentos de multas e demais pedidos referentes ao contrato de trabalho.

Para o ajuizamento da ação basta trazer carteira de trabalho, RG/CPF e, se tiverem, os últimos três contracheques.

NOVOS PREÇOS E PRODUTOS DAS CESTAS BÁSICAS DA ASAEL (SACOLA ECONÔMICA)

Cestas básicas_sacola econômica_Asael site



Confira os novos preços e produtos das cestas básicas da Asael (sacola econômica).  São seis tipos de sacolas de alimentos e mais a sacola de limpeza. Sócios (as) do sindicato podem fazer a compra com desconto em folha e retirar no sindicato,  Mais informações: (51) 3224-4545 ou 3225-5070

SACOLA DE LIMPEZA
04 rolos de papel higiênico
03 sabonetes de 90 Gr
01 desinfetante 2L ou 1 amaciante 2L
01 creme dental de 70 Gr
01 detergente líquido de 500 ml
01 Barra de Sabão Azul de 200 Gr
01 Cx de sabão em pó de 1 Kg
01 Pacote de Bom Bril
01 Alvejante
Valor: R$ 30,00

 SACOLA ECONÔMICA 1
05 kg de arroz tipo 1
05 kg farinha de trigo especial
04 kg açúcar refinado
02 kg de feijão preto
01 pct café 250 gr Diana
01 pct de bolacha sortida
01 pct de massa com ovos 500 gr
01 pct de achocolatado
01 lata de óleo de soja
01 kg de sal refinado
01 pct de polentina
Valor: R$ 93,00

SACOLA ECONÔMICA 2
05 kg de arroz tipo 1
03 kg de farinha de trigo especial
04 kg de açúcar refinado
02 kg de feijão preto
02 latas de óleo de soja
01 pct de massa com ovos 500 gr spaghetti
01 pct de massa com ovos 500 gr ninho
01 pct de café 250 gr
01 kg de sal refinado
01 extrato de tomate 340 gr
01 pct bolacha sortida de 500 gr
01 pct de farinha de mandioca de 500 gr
01 pct de polentina 500 gr
1 pct de achocolatado
1 pote de schmier 400 gr
1 Pct. mistura para Bolo
Valor: R$ 110,00

SACOLA ECONÔMICA 3
10 KG de arroz tipo 1
05 kg de farinha de trigo tipo especial
05 kg de açúcar refinado
04 latas de óleo de soja
02 kg de feijão preto
01 pct de massa com ovos 500 gr ninho
01 pct de massa com ovos 500 gr spaghetti
01 Pacore de bolacha sortida
01 pct de bolacha Maria ou salgada (conforme disponível)
01 kg de sal refinado
01 extrato de tomate 340 gr
01 gelatina
01 pct de polentina
½ kg de farinha de mandioca
01 pct de café Melita 250 gr
Valor: 160,00

SACOLA TIPO 3B
10 kg arroz tipo 1
02 kg de farinha de trigo especial
04 kg de açúcar refinado
04 latas de óleo de soja
02 kg de feijão
01 pct de massa ninho com ovos
01 pct de massa spaghetti c/ ovos
01 pct de bolacha Maria ou sortida
01 kg de sal ou pote de tempero
01 extrato de tomate de 340 gr
01 gelatina
01 pct de polentina
01 pct de café Melita 250 gr.
½ kg de farinha de mandioca
Valor: R$ 142,00

SACOLA ESPECIAL
10 kg de arroz tipo 1
05 kg farinha de trigo tipo especial
07 kg de açúcar refinado
04 latas de óleo de soja
02 kg de feijão preto
01 pct de massa com ovos ninho
01 pct de massa com ovos parafuso
01 pct de bolacha Maria
01 kg de sal refinado
01 extrato de tomate 340 gr
01 pote de schmier 400 gr
01 gelatina
02 pacotes de café Melita 250 gr.
01 pct de polentina
01 lt de ervilha
½ kg de erva mate
½ kg de farinha de mandioca
01 pct de suco
Valor: R$ 170,00

 

CNTV, SINDICATOS E VIGILANTES CONTRA O PROJETO QUE TRANSFERE O CONTROLE DA SEGURANÇA PRIVADA PARA A PM

José Boaventura, presidente da Confederação Nacional dos Vigilantes

José Boaventura, presidente da Confederação Nacional dos Vigilantes



A movimentação do governo Bolsonaro para aprovar no Congresso Nacional mudanças na lei orgânica das policiais estaduais, inclui a transferência do controle da segurança privada para as policias militares e encontrará resistência e o combate por parte da Confederação Nacional dos Trabalhadores Vigilantes – CNTV, dos Sindicatos de luta de Vigilantes de todas as partes do país e da grande maioria da categoria. É mais do governo Bolsonaro contra os vigilantes.

Alguns senões contra esta medida (transferência do controle da segurança privada) foram apontados por diversos setores (Procuradores da República, Delegados da Policia Federal, ex-ministros, entre outros), apontando, principalmente, o fato de muitos policiais serem proprietários ou já atuarem nas empresas.

Para os trabalhadores, além destes senões, a aprovação desta proposta significa um retorno a condição dos anos 60/70, quando não existia lei, profissão nacional, um curso preparatório ou registro. Um trabalhador registrado ou cursado num determinado estado não servia para atuação em outro.

Com a lei federal de 1983 (lei 7.102) os trabalhadores tiveram uma profissão reconhecida e regulamentada, com registro e um curso com validade nacional.

A cidadania também perde com a transferência deste controle, uma vez que a formação dos vigilantes obedece a um currículo único nacional, com um peso maior na preservação da vida e da cidadania.

A proposta, portanto é lesiva aos profissionais e à cidadania e encontrará a resistência e a luta para que seja derrotada e o controle permaneça nacional e com a Policia Federal.

José Boaventura
Presidente da CTNV
Presidente do Sindvigilantes/Bahia

SINDICATO VAI AJUIZAR AÇÃO DE BLOQUEIO DAS FATURAS DA CAMARGO, QUE FECHOU AS PORTAS

Diretores começaram a entregar as notificações pela manhã

Diretores começaram a entregar as notificações pela manhã



Na manhã desta sexta-feira (15) os diretores Luis Henrique Aguiar, Sílvio Ravanel, Adão Ferreira da Silva e o apoio Luiz Carlos Borges começaram a entregar notificações do sindicato aos postos da Camargo Segurança Privada Eireli, solicitando aos contratantes que bloqueiem as faturas da empresa para garantir o pagamento dos salários atrasados dos vigilantes, assim como o vale-transporte e vale-alimentação de dezembro.

Mas, no Sanatório Partenon, os diretores Aguiar e Ravanel foram informados que a empresa fechou as portas e  ontem à tarde, quinta-feira (14), um caminhão teria retirados móveis e equipamentos da sede, localizada na Rua Luzitana, 411, no bairro Higienópolis. Diretores da Camargo que deveriam participar de uma reunião com a direção do Sanatório não apareceram, estavam apenas um guarda líder e um supervisor da empresa.

Além das notificações, que continuaram sendo entregues nos postos, a assessoria jurídica vai ingressar com ação na Justiça do Trabalho pedindo o bloqueio judicial imediato de todos os créditos que a empresa tenha a receber. Já os vigilantes devem comparecer no sindicato, segunda-feira (15), para discutir a situação e receber orientações da direção e assessor jurídico.

As notificações dizem que, na condição de tomadores de serviços, os contratantes precisam “tomar medidas que protejam os trabalhadores terceirizados, bem como prevenir prejuízos ao erário público, sob pena de responsabilização pessoal do administrador e responsável pela fiscalização do contrato”.

Postos notificados
Adão
 
Cais do porto foi um dos postos notificados pelo sindicato

O documento oficial, numerado e com timbre do sindicato, foi encaminhado ao Sanatório Partenon, Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff), Trensurb, Secretaria Estadual da Agricultura, Sanatório Partenon, Cais do Porto (foto), Centro Estadual de Treinamento Esportivo (CETE), Instituto Geral de Perícias (IGP), Tribunal Regional Federal (TRF) e Procon.

No ofício, o sindicato solicita que o posto “proceda imediatamente a retenção da fatura dos créditos da Camargo Segurança Privada Eireli, a fim de garantir o pagamento do salário, vale-alimentação e vale-transporte de dezembro de 2020, FGTS em atraso”, bem como os pagamentos das verbas rescisórias no caso de insolvência da empresa.

Semanas atrás, quando diretores do Sindivigilantes do Sul foram ao Sanatório Partenon verificar a situação no posto, foram muito mal recebidos por vigilantes que disseram que não precisavam do sindicato e podiam se virar com a empresa sozinhos. Vejam no que deu confiarem na empresa, ela fechou as portas sem pagar o que deve e sem dar satisfação para ninguém.

O sindicato vai cumprir, como sempre cumpriu, seu papel de defender os trabalhadores e trabalhadoras nessa situação dramática. Mas que isso sirva de lição para quem ainda se ilude com a conversa fiada dos donos dessas empresas e dos pelegos, pois na hora da verdade é só com o sindicato que os vigilantes realmente podem contar ao seu lado. 

ATENDIMENTO NO SINDICATO SERÁ ATÉ 16 HORAS A PARTIR DE SEGUNDA-FEIRA

Horário



Nesse vaivém de portarias e decretos sobre a Covid-19 o sindicato tem que se adaptar, como todo mundo, e passará a atender das 07h30 até as 16 horas, a partir de segunda-feira, dia 18, uma vez que as normas de proteção e prevenção foram flexibilizadas pelas autoridades públicas, recentemente. Além disso, volta o atendimento presencial da assessoria jurídica, segundas, terças e quartas-feiras, das 10 horas até 16 horas.

Embora estejamos vendo grandes aglomerações por toda a parte e a possibilidade de termos uma vacina em breve, o Sindivigilantes do Sul reforça o apelo dos especialistas, no sentido de que todos e todas mantenham os cuidados que já são conhecidos, como o uso da máscara, lavar as mãos frequentemente, manter distanciamento das outras pessoas e fugir das aglomerações.

Como sempre, também estamos disponíveis pelos nossos canais de comunicação:

Telefones: (51) 3224-4545 / 3024.51.15 / 3024.5114
WhatsApp: (51) 3225-5070
Email: contato@sindivigilantesdosul.org.br

Vigilantes, vamos fazer mais um esforço, fazer a nossa parte e dar o exemplo, vamos continuar a luta contra o coronavírus, Juntos venceremos essa batalha pela vida, por nós, por nossos familiares, amigos, colegas, por todos e todas. Cuidem-se bem e boa saúde!

 

 

 

 

SINDICATO CONVOCA AS PRIMEIRAS ASSEMBLEIAS DA CAMPANHA SALARIAL DE 2021

Tudo aumentou, menos os salários, disse Dias

Tudo aumentou, menos os salários, disse Dias



O Sindivigilantes do Sul publicou nesta quarta-feira (13), no Correio do Povo, o edital de convocação das primeiras assembleias da campanha salarial de 2021, que tem como data-base 1º de fevereiro.

Elas vão ser realizadas na capital e interior, tendo como pauta a discussão e aprovação das reivindicações da categoria, além das providências administrativas e judiciais que são necessárias.

Como em 2020 os salários não tiveram reajuste nenhum, devido à intransigência patronal,  o sindicato vai apresentar a proposta de que o fechamento da convenção coletiva  de 2021 seja condicionado ao pagamento do reajuste reivindicado ano passado: 4,30%, que corresponde à inflação anual pelo INPC.

Segundo o presidente do Sindivigilantes do Sul, Loreni Dias, o percentual que for negociado agora com os patrões deverá ser aplicado sobre os salários do ano passado já reajustados em 4,30%. “Não podemos abrir mão de receber a reposição das perdas da inflação que ficaram para trás, tudo aumentou menos os salários”, disse Dias.

Veja abaixo o calendário das assembleias e se prepare para participar:

Horizontina – 22 de janeiro (sexta-feira)
– Local: Associação dos Metalúrgicos de Horizontina, na RS 342, Km 20
– Horário: 19h a primeira chamada e 19h30 a segunda chamada, com qualquer número de trabalhadores presentes

São Luiz Gonzaga – 23 de janeiro (sábado)
– Local: Rua Dr. Bento Soero de Souza, 2780, Sindicato dos Bancários
– Horário: 15h30 a primeira chamada e 16h a segunda chamada, com qualquer número de trabalhadores presentes

Porto Alegre – 25 de janeiro (segunda-feira)
– Local: Rua Voluntários da Pátria, n. 595, 5º andar, no auditório do sindicato dos Ferroviários
– Primeira sessão: 07h30 a primeira chamada e 08h a segunda chamada, com qualquer número de trabalhadores presentes
– Segunda sessão: 19h30 a primeira chamada e às 20h a segunda chamada, com qualquer número de trabalhadores presentes

Camaquã – 26 de janeiro (terça-feira)
– Local: Rua Bento Gonçalves, 1207, Sindicato dos Bancários
– Horário:  19h a primeira chamada e 19h30 a segunda e última chamada, com qualquer número de trabalhadores presentes

Mostardas – 27 de janeiro (quarta-feira)
– Local: Rua 15 de novembro, 440, no Sindicato Rural de Mostardas
– Horário: 19h a primeira chamada e 19h30 a segunda e última chamada

Venha, participe, mobilizados e unidos vamos lutar, vencer e conquistar o que é nosso direito!

Observação: Houve modificação nos horários de São Luiz, Porto Alegre e Mostardas, que já foram modificados no texto.

 

 

CUT E CENTRAIS DEFINEM AUXÍLIO EMERGENCIAL E VACINA COMO EIXOS ESTRATÉGICOS EM 2021

Fórum das Centrais decidiu os eixos para a mobilização sindical

Fórum das Centrais decidiu os eixos para a mobilização sindical



Vacina já para todos e todas, manutenção do auxílio emergencial, proteção social, mais empregos, campanhas de solidariedade e fortalecimento da organização sindical e de negociação coletiva são os cinco eixos centrais da CUT e demais centrais sindicais para ação e mobilização unitária no ano de 2021.

A decisão do Fórum das Centrais (CUT, Força Sindical, UGT, CTB, NCST e CSB) foi tomada pelas entidades nessa terça-feira (5), por videoconferência, e publicada no documento “Vacina, proteção e mais empregos: diretrizes para a ação sindical unitária”, divulgado nesta quarta-feira (6).

“Essa agenda deve ser mobilizadora da ação sindical em todos os níveis, na interlocução com prefeitos recém-empossados, com governadores e  empresários, assim como na articulação com os movimentos sociais e populares, e com as entidades da sociedade civil”, afirma o Fórum no documento.

As entidades também definiram dar especial atenção ao processo de eleição da presidência da Câmara dos Deputados e do Senado que ocorrerá no dia 1º de fevereiro. Os candidatos das duas Casas receberão imediatamente as diretrizes unificadas do Fórum.

Crise e os impactos no trabalho

O debate se deu em torno de soluções para a crise que coloca em risco a vida, a saúde, os empregos, a renda do trabalho e a proteção social, de todos os trabalhadores e trabalhadoras e, com maior gravidade os mais vulneráveis.

Também foram debatidas as dificuldades deflagradas a partir da escandalosa supressão de direitos ocorrida na reforma Trabalhista, de 2017, e que impõe severas dificuldades e restrições às entidades sindicais em sua função elementar de exercer a defesa da classe trabalhadora.

Vacina e o desrespeito

Segundo os representantes das entidades sindicais, as crises econômica e sanitária são agravadas pelas estarrecedoras práticas do governo Bolsonaro que destrói políticas, programas e organizações públicas em todas as áreas, inclusive na área da saúde.

“O país está cada vez mais atrasado na implantação da vacinação por deliberada irresponsabilidade do presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL). Seus péssimos exemplos só fazem aumentar as cenas de desrespeito de muitos aos cuidados e protocolos de segurança sanitária”, diz trecho do documento publicado após a reunião do Fórum das Centrais.

Auxílio emergencial e reação

As entidades também ressaltaram que o fim dos auxílios emergencial e de proteção dos salários e emprego, a partir de janeiro, serão dramáticos para milhões de trabalhadores e trabalhadoras e suas famílias, com o aumento da pobreza e da miséria.

Para o Fórum, o fim do governo Bolsonaro significa sepultar esses desmandos e a destruição de tantas políticas, programas e organizações públicas que o país levou décadas para construir, assim como impedir o obscurantismo que vem prevalecendo como forma de governo.

“Conclamamos todo o movimento sindical brasileiro para a unidade de ação em torno dessa agenda, para o fortalecimento da luta dos trabalhadores desde os sindicatos e para um movimento de inovação que recoloque a centralidade do mundo do trabalho na formulação de um novo projeto nacional de desenvolvimento”, diz trecho final do documento.

Leia aqui o documento na íntegra:

Fonte: CUT

SINDICATOS LIGADOS À FEDERAÇÃO VÃO SE ACOVARDAR DE NOVO?

O Sindivigilantes do Sul vai convocar, em breve, as primeiras assembleias do ano

O Sindivigilantes do Sul vai convocar, em breve, as primeiras assembleias do ano



Estamos próximos da data-base da categoria, 1º de fevereiro, e o Sindivigilantes do Sul, já está organizando as primeiras assembleias, que serão divulgadas assim que forem publicadas em edital as datas e os locais, na capital e interior. Vão ser observados todos os cuidados necessários decorrentes da pandemia.

“Aqui só fazemos campanha salarial e tomamos as decisões com participação da categoria, com transparência”, afirmou o presidente, Loreni Dias.

Também é hora de se perguntar o que vão fazer a Federação dos Vigilantes e os sindicatos ligados a ela, que ano passado baixaram a cabeça para os patrões e prontamente assinaram a convenção coletiva de trabalho (CCT) zerada, sem reajuste salarial nenhum. Entre eles, os sindicatos de Caxias do Sul, Passo Fundo, Santa Maria, Santa Cruz do Sul, Guaíba e Rio Grande.

Os vigilantes dessas cidades não receberam nem mesmo a reposição da inflação, que chegou a 4,30% na data-base.

Com isso, ainda facilitaram a vida das empresas na negociação com os demais sindicatos. Elas se sentiram à vontade para dizer que não dariam aumento para ninguém.  Há denúncias, inclusive, de que muitos desses presidentes assinaram a convenção sem fazer as assembleias para ter a autorização da categoria, deram um canetaço.

“Parece que os dirigentes da Federação e desses sindicatos não estavam preocupados com a categoria, só pensaram em garantir os repasses das contribuições, enquanto que os vigilantes não tiveram vantagem nenhuma no contracheque”, ressaltou Dias.

Agora que já aceitaram o prejuízo do ano passado, o que esses sindicatos da Federação vão dizer para os vigilantes? Cadê os editais das assembleias desse ano? Vão se acovardar de novo e aceitar outra proposta zerada dos patrões, só para garantir o recebimento das contribuições?

Os vigilantes desses sindicatos têm que ficar atentos, cobrar explicações dos seus dirigentes, ou a história vai se repetir e vão ter mais prejuízos no bolso.

Por outro lado, o Sindivigilantes do Sul e os sindicatos de Pelotas, São Leopoldo, Uruguaiana, Alto Uruguai e Alegrete não caíram no golpe patronal, não assinaram a proposta sem aumento dos salários, e já definiram que sem uma proposta que resolva o que ficou para trás, em 2020, não haverá como negociar a convenção coletiva de 2021.

VIGILANTES, SÓ A NOSSA CORAGEM E A LUTA GARANTEM NOSSOS DIREITOS. FIQUEM ATENTOS PARA AS ASSEMBLEIAS QUE SERÃO CONVOCADAS E PARTICIPEM. UNIDOS VENCEREMOS!